SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18Physicians’ behavior regarding non-acceptance of oral restriction (nil per os) by dysphagic patient with risk of laryngotracheal aspirationAnatomical study of the brachial plexus in human fetuses and its relation with neonatal upper limb paralysis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Einstein (São Paulo)

Print version ISSN 1679-4508On-line version ISSN 2317-6385

Abstract

MAMANI, Javier Bustamante et al. Terapia de magneto-hipertermia no modelo de tumor de glioblastoma on-a-Chip. Einstein (São Paulo) [online]. 2020, vol.18, eAO4954.  Epub Jan 10, 2020. ISSN 1679-4508.  https://doi.org/10.31744/einstein_journal/2020ao4954.

Objetivo:

Avaliar a terapia de magneto-hipertermia em modelo de tumor de glioblastoma on-a-Chip.

Métodos:

As nanopartículas magnéticas recobertas com aminosilana foram utilizadas para a terapia da magneto-hipertermia, sendo avaliada a taxa de absorção específica das nanopartículas magnéticas em 300 Gauss e 305kHz. Uma pré-cultura de células C6 foi realizada e, seguidamente, foi feito o cultivo das células 3D no chip. O processo de magneto-hipertermia no chip foi realizado após administração de 20μL de nanopartículas magnéticas (10mgFe/mL), utilizando os parâmetros que geraram o valor da taxa de absorção específica. A eficácia da terapia de magneto-hipertermia foi avaliada pela viabilidade celular por meio dos corantes fluorescentes acetoximetiléster de calceína (492/513nm), para células vivas, e etídio homodímero-1 (526/619nm), para células mortas.

Resultados:

As nanopartículas magnéticas, quando submetidas ao campo magnético alternado (300 Gauss e 305kHz), produziram um valor médio da taxa de absorção específica de 115,4±6,0W/g. A cultura 3D das células C6 avaliada por imagem de microscopia de campo claro mostrou a proliferação e a morfologia das células antes da aplicação da terapia de magneto-hipertermia. As imagens de fluorescência mostraram diminuição da viabilidade das células cultivadas no organ-on-a-Chip em 20% e 100% após 10 e 30 minutos, respectivamente, da aplicação da terapia de magneto-hipertermia.

Conclusão:

O processo terapêutico da magneto-hipertermia no modelo de tumor glioblastoma on-a-chip foi eficaz para produzir lise total das células após 30 minutos de terapia.

Keywords : Glioblastoma/terapia; Hipertermia; Nanopartículas; Microfluídica; Células C6.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )