SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 issue2Feeding habits of the atlantic spotted dolphin, Stenella frontalis, in southeastern BrazilTissue-specific mercury concentrations in two catfish species from the Brazilian coast author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Brazilian Journal of Oceanography

On-line version ISSN 1982-436X

Abstract

COSTA, Marcus Rodrigues da et al. Distribution and size of the mojarra Diapterus rhombeus (Cuvier) (Actinopterygii, Gerreidae) in a Southeastern Brazilian bay. Braz. j. oceanogr. [online]. 2012, vol.60, n.2, pp. 199-207. ISSN 1982-436X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1679-87592012000200010.

Diapterus rhombeus é uma das espécies de peixes mais abundantes na Baia de Sepetiba, ambiente costeiro de 520 km2 de área semifechada no sudoeste do Brasil. O tamanho e distribuição dos indivíduos desta espécie foram descritos com o objetivo de determinar o uso das áreas de criação numa dimensão espacial e temporal (sazonal). Um programa de amostragem de arrasto de fundo foi conduzido mensalmente entre outubro 1998 a setembro 1999, em três zonas da baía (externa, central, interna), definidas através de gradientes de profundidade e salinidade. Diferenças altamente significativas foram encontradas para CPUEs (número e biomassa) entre estações do ano e zonas. O comprimento variou de 50 a 230 mm CT. Três grupos de tamanhos foram definidos de acordo com uma escala de maturação gonadal (n = 1435): 1 - imaturo (< 80 mm Comprimento Total - CT); 2- indivíduos em primeira maturação (L50) (80-90 mm CT); e 3 - adultos (L100) (> 100 mm CT). Imaturos e indivíduos L50 foram abundantes (número e biomassa) durante o outono na zona interna, enquanto adultos (L100) predominaram durante o verão na zona externa. Evidências de movimento de indivíduos jovens (50-90 mm CT) da zona interna para zona externa foram detectadas conforme os animais foram atingindo maiores tamanhos (180 mm CT), no segundo ano de vida. A condição (k)  aumentou em indivíduos maiores na zona externa durante a primavera, quando estes se tornam aptos a iniciar o processo reprodutivo. Duas coortes foram detectadas de acordo com a progressão modal: a primeira (menores tamanhos) mostrando crescimento mais rápido do que a segunda, evidenciando uma taxa menor de crescimento a medida que atingem maiores tamanhos. Diferentes classes de comprimento ocupando diferentes zonas da baía sugerem que grupos de idades otimizam sua coexistência compartilhando os recursos disponíveis  e evitando competição intra-especifica.

Keywords : Crescimento; Peixes costeiros; Ciclo de vida; Baía de Sepetiba.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English