SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 número1Opioid receptors to dateAlternative treatment for post-herpetic neuralgia after lung transplantation. Case report índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista Dor

versión impresa ISSN 1806-0013

Resumen

GONCALVES, Maria Claudia et al. Ultrassom estático e terapia manual para tratamento da enxaqueca refratária. Relato de caso. Rev. dor [online]. 2012, vol.13, n.1, pp. 80-84. ISSN 1806-0013.  http://dx.doi.org/10.1590/S1806-00132012000100015.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Limiares reduzidos de dor a pressão (LDP) e presença de pontos de gatilho musculares costumam ser observadas em pacientes com enxaqueca. A fisioterapia costuma ser útil para esses pacientes. O objetivo deste estudo foi demonstrar os benefícios do ultrassom estático no tratamento de pacientes com enxaqueca. RELATO DE CASO: Paciente do sexo feminino, 25 anos, com enxaqueca desde os 15 anos de idade. Foi enviada por especialista em cefaleia devido à refratariedade ao tratamento farmacológico. Tinha aproximadamente 8 crises incapacitantes por mês que duravam 2 a 3 dias. Foram examinados os músculos craniocervicais, medido o LDP e a amplitude de movimento cervical. Participou de 20 sessões, duas vezes por semana com duração de 40 a 50 minutos, de alongamento global e tração cervical, além de liberação miofascial e desativação dos pontos de gatilho musculares. Após a 6ª sessão introduziu-se o ultrassom estático ao protocolo. CONCLUSÃO: Houve redução significativa na frequência e duração dos ataques de enxaqueca, além de aumento do LDP. A fisioterapia com ultrassom estático pode ser útil para pacientes com enxaqueca refratária.

Palabras llave : Enxaqueca sem aura; Modalidades de Fisioterapia; Síndromes da dor miofascial; Terapia por ultrassom.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués | Inglés     · pdf en Inglés | Portugués