SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 issue2Chronic pain map in the Internet: exploratory studyEvaluation of the knowledge of postoperative pain among participants of a virtual scientific journey in Anesthesiology author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Dor

Print version ISSN 1806-0013On-line version ISSN 2317-6393

Abstract

TOSCANO, José Jean de Oliveira et al. Prevalência de dor em servidores públicos: associação com comportamento sedentário e atividade física de lazer. Rev. dor [online]. 2016, vol.17, n.2, pp.106-110. ISSN 1806-0013.  http://dx.doi.org/10.5935/1806-0013.20160025.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:

Das ações habituais que refletem o estilo de vida dos que exercem função laboral administrativa, destaca-se o comportamento sedentário. O objetivo deste estudo foi associar a prevalência de dor com o comportamento sedentário e nível de atividade física de servidores públicos.

MÉTODOS:

A amostra foi constituída por 156 servidores públicos, de ambos os gêneros, média de idade de 39,8±12,3 anos, lotados em uma universidade federal do Nordeste do Brasil, que responderam a um questionário com variáveis relativas a dor, comportamento sedentário e prática de atividade física. Para análise descritiva foram expressos valores de média, desvio padrão, frequência absoluta e relativa. Empregou-se a análise de regressão para estimativas de razões de prevalências e intervalos de confiança de 95%. Na análise ajustada, todas as variáveis foram incluídas no modelo. Considerou-se significativamente associado ao desfecho um valor de p≤0,05.

RESULTADOS:

A prevalência de comportamento sedentário vendo TV foi de 24,4% e no trabalho foi de 88,5%. Aproximadamente 65% da amostra eram insuficientemente ativos fisicamente. A presença de dor foi reportada por 76,3% da amostra. Após ajuste pelo gênero, idade e atividade física, aqueles que passavam mais de duas horas por dia sentados à frente da TV e ficavam sentados no trabalho foram os subgrupos com maiores probabilidades de presença de dor (p<.0,05).

CONCLUSÃO:

Aproximadamente 8 em 10 trabalhadores reportaram dor musculoesquelética. Dos comportamentos investigados foi verificado que servidores que passavam muito tempo sentados tinham maiores probabilidades de reportar dor.

Keywords : Adultos; Atividade física; Comportamento sedentário; Dor musculoesquelética; Trabalhador.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )