SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número3Avaliação da notificação no Distrito Federal de casos de tuberculose residentes em dez municípios goianos do entorno e análise da incidência de tuberculose nestas localidadesPeculiaridades do controle da tuberculose em um cenário de violência urbana de uma comunidade carente do Rio de Janeiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713

Resumo

PELAQUIN, Monica Hid Haddad; SILVA, Rebeca Souza e  e  RIBEIRO, Sandra Aparecida. Fatores associados ao óbito por tuberculose na zona leste da cidade de São Paulo, 2001. J. bras. pneumol. [online]. 2007, vol.33, n.3, pp. 311-317. ISSN 1806-3713.  http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132007000300013.

OBJETIVO: Identificar os fatores mais associados à evolução para óbito por tuberculose (TB), comparando casos de TB que evoluíram para óbito com os que evoluíram para cura, entre os casos notificados em 2001, nas subprefeituras de Cidade Tiradentes, Guaianazes, Itaquera e São Mateus, na zona leste do município de São Paulo. MÉTODOS: Foram investigados todos os óbitos (n = 48) que tiveram como causa básica TB, com análise do prontuário hospitalar e posterior visita domiciliar com entrevista do(s) cuidador(es). Paralelamente, investigaram-se 96 casos de TB que tiveram alta cura. Em ambos os grupos, foram excluídos pacientes portadores de HIV. RESULTADOS: A distribuição dos casos curados e óbitos de TB foi igual em ambos os grupos para forma clínica da TB, confirmação laboratorial do diagnóstico e tipo de tratamento. Os casos de óbito tiveram associação estatisticamente significante com sexo masculino, idade maior que 50 anos, escolaridade menor que 3 anos, alcoolismo e desemprego. A regressão logística mostrou que as variáveis de maior significância para evolução para óbito foram: alcoolismo e idade maior que 50 anos, enquanto ser virgem de tratamento e ter ocupação foram fatores de proteção. A associação de alcoolismo, desemprego e idade superior a 50 anos em um mesmo paciente aumentou 25 vezes a chance de evoluir para óbito (IC95%: 6,4397,20). CONCLUSÃO: O treinamento continuado das equipes de saúde, também em nível hospitalar, com prontidão nas ações de vigilância epidemiológica e um adequado funcionamento do sistema de referência/contra-referência em muito melhorarão os indicadores da doença.

Palavras-chave : Tuberculose [mortalidade]; Epidemiologia descritiva; Atestado de óbito.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês