SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 número5Alteração da pressão intra-cuff do tubo endotraqueal após mudança da posição em pacientes sob ventilação mecânicaMetodologia para caracterização de proficiência em leitura de resultados baciloscópicos para o diagnóstico da tuberculose índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal Brasileiro de Pneumologia

versão impressa ISSN 1806-3713versão On-line ISSN 1806-3756

Resumo

HARTWIG, Shaiana Vilella et al. Avaliação da vigilância de contatos de casos novos de tuberculose no Estado de Mato Grosso - Brasil. J. bras. pneumol. [online]. 2008, vol.34, n.5, pp.298-303. ISSN 1806-3713.  http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132008000500009.

OBJETIVO: Avaliar as ações de vigilância de contatos de casos novos de tuberculose em Mato Grosso no período de 1999 a 2004. MÉTODOS: Estudo epidemiológico descritivo baseado em dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação-Tuberculose. O número de casos novos de tuberculose, o número de contatos (estimados, examinados e não examinados) e a taxa de incidência de tuberculose foram analisados segundo a faixa etária. Calculou-se, por ano de estudo, a média de contatos examinados para cada caso de tuberculose segundo a faixa etária. Os casos de tuberculose pulmonar com e sem contatos examinados foram analisados segundo o resultado da baciloscopia. RESULTADOS: Em 2004, Mato Grosso apresentou 41,3 casos de tuberculose por 100 mil habitantes. A mesorregião centro-sul apresentou a maior taxa de incidência (57 casos/100 mil habitantes) e uma taxa de 15% de contatos examinados. Entre os menores de 15 anos, examinaram-se 63 contatos (60,5%), enquanto entre aqueles com 15 anos ou mais, examinaram-se 389 contatos (8,9%). Em 1999, a média de contatos examinados em Mato Grosso foi de 0,02 (0,5%), e, em 2004, ela alcançou 0,42 (10,5%). O percentual de contatos examinados foi 40,0% maior entre os contatos de casos bacilíferos (OR = 1,4; IC95%: 1,08-1,83). CONCLUSÕES: O percentual de contatos examinados é muito baixo, principalmente entre os adultos. A normatização do exame de contatos de tuberculose pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde não tem sido suficiente para garantir que esse grupo de maior risco de adoecimento seja priorizado pelos serviços de saúde de Mato Grosso.

Palavras-chave : Busca de comunicante; Vigilância epidemiológica; Tuberculose [prevenção  &  controle].

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons