SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 issue6Evaluation of the impact that the changes in tuberculosis treatment implemented in Brazil in 2009 have had on disease control in the countryNiemann-Pick disease type B: HRCT assessment of pulmonary involvement author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Jornal Brasileiro de Pneumologia

Print version ISSN 1806-3713On-line version ISSN 1806-3756

Abstract

ALGRANTI, Eduardo et al. Mortalidade por fibrose pulmonar idiopática: análise temporal no Brasil, 1979-2014. J. bras. pneumol. [online]. 2017, vol.43, n.6, pp.445-450. ISSN 1806-3713.  http://dx.doi.org/10.1590/s1806-37562017000000035.

Objetivo:

Analisar a mortalidade por fibrose pulmonar idiopática (FPI) no Brasil no período de 1979-2014.

Métodos:

Foram extraídos microdados do Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde cuja causa básica de óbito tenha sido codificada conforme a Classificação Internacional das Doenças, 9ª edição, códigos 515 ou 516.3 (até 1995), e 10ª versão, código J84.1 (a partir de 1996). Os coeficientes de mortalidade padronizados foram calculados para a população brasileira de 2010. A tendência anual da mortalidade foi analisada pelo método de regressão por pontos de inflexão. Foram calculadas as razões de risco (RR) por faixa etária, período analisado e gênero, utilizando-se como denominador pessoas-ano.

Resultados:

Foram registrados 32.092 óbitos no período estudado. O coeficiente de mortalidade padronizado mostrou-se ascendente, passando de 0,24/100.000 habitantes em 1979 para 1,10/100.000 em 2014. A tendência anual de crescimento identificou dois pontos de inflexão, em 1992 e 2008, gerando três retas com crescimento anual percentual de 2,2%, 6,8% e 2,4%, respectivamente. As RR (IC95%) por faixa etária, elegendo a faixa de 50-54 anos como referência, e por período estudado, elegendo o período de 1979-1984 como referência, foram de 16,14 (14,44-16,36) e de 6,71 (6,34-7,12), respectivamente. Homens, comparados a mulheres, apresentaram taxas de mortalidade padronizadas (por 100.000 pessoas-ano) superiores em todas as faixas etárias.

Conclusões:

Os coeficientes de mortalidade brasileiros por FPI são inferiores aos de outros países, podendo indicar subdiagnóstico ou subnotificação. A tendência temporal é semelhante à descrita na literatura e não é justificada apenas pelo envelhecimento populacional.

Keywords : Fibrose pulmonar idiopática/epidemiologia; Fibrose pulmonar idiopática/mortalidade; Dinâmica populacional.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )