SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número3Períodos de interferência de plantas daninhas na cultura do feijoeiro-comum (Phaseolus vulgaris L.)Comportamento de cultivares de soja, em diferentes épocas de semeaduras, visando a produção de biocombustivel índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Ciência Agronômica

versão On-line ISSN 1806-6690

Resumo

SANTOS, Micaele da Costa et al. Efeito da sacarose e do sorbitol na conservação in vitro de segmentos nodais de mangabeira. Rev. Ciênc. Agron. [online]. 2011, vol.42, n.3, pp. 735-741. ISSN 1806-6690.  http://dx.doi.org/10.1590/S1806-66902011000300020.

A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma espécie cujas regiões de ocorrência natural vêm sofrendo grande pressão antrópica, a qual está provocando erosão genética em muitas populações nativas, principalmente da região Nordeste. Em virtude da existência de poucas coleções de mangabeira conservadas ex situ, evidencia-se a importância do desenvolvimento de um método alternativo e complementar para a conservação de germoplasma dessa espécie. Este trabalho teve como objetivo o aprimoramento técnico-científico da conservação in vitro por crescimento lento de mangabeira. Para avaliar o efeito da sacarose e sorbitol segmentos nodais foram inoculados em tubos de ensaio com 25 mL de meio de cultura MS suplementado com 1 mg L-1 de ácido indolacético e 1 mg L-1 de benzilaminopurina e diferentes concentrações de sorbitol (10; 20 e 40 g L-1), combinadas com 0 e 15 g L-1 de sacarose. Na etapa de recuperação do crescimento, explantes conservados in vitro por 120 dias no experimento anterior foram inoculados em meio de cultura MS sendo a viabilidade das culturas avaliadas aos 30 e 60 dias. A conservação in vitro de segmentos nodais de mangabeira na ausência de sacarose e na presença de 10 ou 20 g L-1 de sorbitol é viável sob condições de crescimento lento por 120 dias. Explantes mantidos na ausência de sacarose ou na presença de 10 g L-1 de sorbitol na fase de conservação apresentam maior viabilidade na retomada do crescimento até os 60 dias de cultivo.

Palavras-chave : Hancornia speciosa Gomes; Crescimento lento; Reguladores osmóticos.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português