SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 número5Conhecimentos, atitudes e práticas de Cirurgiões-Dentistas de Anápolis-GO sobre a fitoterapia em odontologiaAvaliação radiográfica da limpeza de canais radiculares, principal e laterais, utilizando diferentes métodos de irrigação final índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Odontologia da UNESP

versão On-line ISSN 1807-2577

Resumo

LIMA, Laynna Marina Santos et al. Impacto da fluorose dentária na qualidade de vida de crianças e adolescentes. Rev. odontol. UNESP [online]. 2014, vol.43, n.5, pp.326-332. ISSN 1807-2577.  http://dx.doi.org/10.1590/rou.2014.052.

INTRODUÇÃO:

A fluorose dentária é um distúrbio de alta prevalência decorrente da ingestão de íons fluoretos. Medidas preventivas para evitá-la ainda são controversas. Assim, conhecer o impacto que a fluorose pode causar na qualidade de vida de indivíduos é importante para o planejamento de políticas públicas de saúde.

OBJETIVO:

Avaliar o impacto da fluorose dentária sobre a qualidade de vida relacionada à saúde bucal (QVRSB) de crianças e adolescentes.

MATERIAL E MÉTODO:

Foram avaliados 300 indivíduos na faixa etária de 8 a12 anos. O diagnóstico de fluorose foi realizado segundo o índice Thylstrup e Fejerskov e a qualidade de vida foi avaliada utilizando os questionários de Percepção da Criança 8-10 e 11-14. Foram incluídos pacientes com oito incisivos permanentes com coroas totalmente irrompidase excluídos os que apresentavam restaurações extensas, dentes fraturados, outros defeitos do esmalte dentário e os que usavam aparelho ortodôntico fixo. Os dados foram analisados no programa SPSS(r) (versão 18; Chicago, IL) e realizaram-se os teste Qui-quadrado, Fisher e Mann-Whitney. Foram considerados significantes valores de p<0,05.

RESULTADO:

A prevalência de fluorose foi 64,7%, sendo os graus leve e muito leve responsáveis por 80,3% dos casos. Crianças e adolescentes não tiveram impacto na QVRSB no escore geral e domínios sintomas orais, bem-estar emocional e social (p>0,05). Entretanto, apresentaram impacto no domínio limitação funcional (p = 0,039 e 0,013) para crianças e adolescentes respectivamente).

CONCLUSÃO:

Foi observada associação entre fluorose e qualidade de vida apenas no domínio funcional.

Palavras-chave : Fluorose dentária; qualidade de vida; percepção.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )