SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número1Modelagem e validação 3D de um premolar para análise de elementos finitosAs mudanças químicas e de dureza na dentina decidua desmineralizada tratada com fluoreto e cimento de ionômero de vidro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Odontologia da UNESP

versão On-line ISSN 1807-2577

Resumo

MOREIRA, Ana Lúcia Barbosa et al. Eficácia das manobras de desbridamento no preparo químico-mecânico quanto à desinfecção no terço apical em molares humanos. Rev. odontol. UNESP [online]. 2016, vol.45, n.1, pp.27-32.  Epub 12-Fev-2016. ISSN 1807-2577.  http://dx.doi.org/10.1590/1807-2577.05015.

Objetivo

Avaliar a eficácia das manobras de desbridamento no preparo químico-mecânico (PQM) quanto a limpeza e desinfecção no terço apical em molares humanos.

Material e método

Cinquenta raízes mesiais de molares inferiores humanos com dois canais radiculares foram inoculadas com E. faecalis e distribuídas aleatoriamente em cinco grupos (n=10). O PQM foi realizado com o sistema Protaper associado ao desbridamento com as limas Kerr #10 (G1 e G3) e as limas Kerr #15 (G2 e G4). O G5 representou o controle positivo, o qual foi submetido apenas ao PQM, sem receber o desbridamento. Outra variável foi o uso da medicação intracanal (MIC) à base de hidróxido de cálcio (Calen), que foi aplicada aos grupos G3 e G4. A irrigação foi feita com hipoclorito de sódio 2,5% e EDTA 17%. A análise da ação antimicrobiana se deu através da contagem das unidades formadoras de colônias (UFC).

Resultado

Foram aplicados o Teste Kruskal-Wallis (nas análises imediatas) e o Teste Mann-Whitney (nas análises mediatas), ambos com p=0,01. A análise imediata ao PQM apresentou-se sem diferença estatística entre os grupos (p=0,11). No G4 (#15 + MIC), os resultados das coletas mediatas foram estatisticamente significantes (p=0,01).

Conclusão

O desbridamento com as limas Kerr #10 e #15 não apresentou diferença significativa quanto à redução das colônias de E. faecalis quando comparado ao grupo em que não se realizou o desbridamento. Nos espécimes em que se aplicou a MIC, o desbridamento com a lima Kerr #15 (G4) foi mais eficiente do que a lima Kerr #10 (G3) em reduzir as UFC.

Palavras-chave : Desbridamento; Enterococus faecalis; microbiologia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )