SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 número2Influence of defects in solution irrigating dentinal training after preparation with System Reciproc®Analysis of pH and release of calcium of association between melaleuca alternifolia oil and calcium hydroxide índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Revista de Odontologia da UNESP

versión On-line ISSN 1807-2577

Resumen

SANTOS, Mariah Carvalho Guimarães dos et al. Resistência de união ao longo do tempo de um cimento resinoso autoadesivo à dentina intrarradicular pré tratadas com clorexidina e etanol. Rev. odontol. UNESP [online]. 2017, vol.46, n.2, pp.97-103.  Epub 13-Mar-2017. ISSN 1807-2577.  http://dx.doi.org/10.1590/1807-2577.01716.

Introdução

Cimentos resinosos autoadesivos não necessitam de tratamento prévio da superfície dental, por esta razão o pré tratamento da dentina pode influenciar a longevidade da resistência adesiva.

Objetivo

Avaliar a influência do tratamento dentinário com etanol (ET) 100% e clorexidina (CL) 2% na resistência de união (RU) de um cimento resinoso autoadesivo (CRA) à dentina intrarradicular.

Material e método

80 raízes bovinas restauradas com pino de fibra de vidro e CRA (U200 3M/ESPE) foram distribuídas em 4 grupos, de acordo com o tratamento prévio da dentina intrarradicular: Grupo 1 – nenhum tratamento; Grupo 2 – CL2% por 1 minuto; Grupo 3 – ET100% por 1 minuto; Grupo 4 – CL2% seguido pelo ET100%. As amostras foram seccionadas no sentido radial para obtenção de duas secções de aproximadamente 0,7 mm de espessura em cada terço – cervical, médio e apical. Após 48 horas e 180 dias foi realizado o teste push-out.

Resultado

A ANOVA a três critérios para blocos casualizados demostrou que não houve diferença entre os valores de resistência de união nos tempos 48 h e 180 dias, independentemente do tratamento e do terço (p>0,05). A interação tratamento-terço foi significativa (p = 0,041) sendo que o tratamento com CL promoveu menor RU no terço cervical e o tratamento com ET promoveu melhor RU no terço apical.

Conclusão

Os tratamentos com CL e ET individualmente ou associados não promoveram diferenças entre os valores de RU do CRA à dentina intrarradicular ao longo do tempo.

Palabras clave : Etanol; clorexidina; técnica para retentor intrarradicular; cimentos de resina.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )