SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número3Prevalência e fatores associados à prática de esportes individuais e coletivos em adolescentes pertencentes a uma coorte de nascimentosO surfe no cinema e a sociedade brasileira na transição dos anos 70/80 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Educação Física e Esporte

versão impressa ISSN 1807-5509

Resumo

LEITE, Neiva et al. Aptidão cardiorrespiratória, perfil lipídico e metabólico em adolescentes obesos e não-obesos. Rev. bras. educ. fís. esporte (Impr.) [online]. 2009, vol.23, n.3, pp.275-282. ISSN 1807-5509.  https://doi.org/10.1590/S1807-55092009000300008.

O objetivo deste estudo foi investigar a relação entre o consumo máximo de oxigênio, perfil lipídico e metabólico em meninas e meninos obesos e não-obesos. Estudo transversal, descritivo e correlacional. A amostra foi composta por 91 obesos e 30 não-obesos, dos 10 aos 16 anos. Avaliou-se o índice de massa corporal (IMC) e a circunferência abdominal (CA). A aptidão cardiorrespiratória foi avaliada de forma direta através da análise do consumo máximo de oxigênio (O2max). Determinaram-se níveis de colesterol total (CT), lipoproteína de alta densidade (HDL-C), lipoproteína de baixa densidade (LDL-C), triglicérides (TG), glicemia e insulinemia após 12 horas de jejum. Analisaram-se os dados pelo teste "t" de student e correlação parcial controlada pela idade, com um nível de significância de p<0.05. O grupo não-obeso apresentou maiores valores de VO2max e HDL-C do que os obesos (p < 0,001). O TG (p < 0,01) e insulinemia (p < 0,001) foram superiores nos obesos comparados aos não-obesos. Os valores de LDL-C, CT e glicemia não diferiram entre os grupos. Houve correlação do O2max com o IMC (r = -0,540; p < 0,001), CA (r = -0,535; p < 0,001), a insulinemia (r = -0,392; p < 0,001), TG (r = -0,277; p = 0,005) e HDL-C (r = 0,299; p = 0,002). Não houve correlações do O2max com a CT, a fração LDL-C e a glicemia.O menor VO2max correlacionou com maiores adiposidade, TG e insulinemia, bem como redução de HDL. O O2max não correlacionou com o CT, LDL-C e glicemia, sugerindo a importância do controle genético sobre estas variáveis e um menor tempo de influência do sedentarismo na população infanto-juvenil.

Palavras-chave : Adiposidade; Aptidão cardiorrespiratória; Lipídios; Metabolismo.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons