SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 issue4Confirmatory factorial and internal consistency of the tennis player technical trainningObesity antropometrics index in individuals with Down syndrome author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Educação Física e Esporte

Print version ISSN 1807-5509

Abstract

FERREIRA JUNIOR, João Batista et al. Distribuição regional do suor durante exercício progressivo até a fadiga. Rev. bras. educ. fís. esporte (Impr.) [online]. 2009, vol.23, n.4, pp. 405-414. ISSN 1807-5509.  http://dx.doi.org/10.1590/S1807-55092009000400009.

A partir da hipótese evolutiva de que a cabeça humana precisa ser resfriada de forma especial, o objetivo do presente estudo foi verificar se a sudorese seria maior na testa do que nas demais regiões do corpo durante o exercício progressivo até a fadiga (EPF). Em 17 voluntários (23 ± 2 anos, 76,93 ± 7,74 kg, 179 ± 7 cm e 1,9 ± 0,1 m2) foram medidos a taxa de sudorese local (TSlocal), o número de glândulas de suor ativas (GSA) e taxa de suor por GSA (TSlocal.GSA-1) em oito regiões do corpo (testa, costas, peito, braço, antebraço, mão, coxa e perna) durante o EPF em cicloergômetro. A TSlocal da testa foi maior que todas as outras regiões e a TSlocal do peito foi maior apenas que a da coxa. O número de GSA da testa foi maior do que em todas as outras regiões, e a GSA da mão foi maior que do peito, braço, coxa e perna. A TSlocal.GSA-1 da testa foi maior do que as do braço, antebraço, mão e coxa, e a TSlocal.GSA-1 das costas e do peito foram maiores que do antebraço e mão. A produção de suor da parte superior do corpo (testa, costas, peito, braço, antebraço, mão) foi maior que a inferior (coxa e perna). Concluiu-se que o EPF desencadeou um padrão de produção de suor maior na cabeça que pode estar relacionado à maior convecção nas regiões mais altas do corpo.

Keywords : Sudorese; Exercício; Fadiga.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese