SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 issue2Analysis of distortions in children with and without phonological disordersEffects of corticosteroids in very low birth weight newborns dependent on mechanical ventilation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Clinics

Print version ISSN 1807-5932On-line version ISSN 1980-5322

Abstract

SZACHNOWICZ, Sergio et al. Origem do adenocarcinoma no esôfago de Barrett: bases histopathológicas e expressão dos genes p53 e Ki67. Clinics [online]. 2005, vol.60, n.2, pp.103-112. ISSN 1807-5932.  http://dx.doi.org/10.1590/S1807-59322005000200005.

O esôfago de Barrett é definido como a substituição do epitélio escamoso do esôfago distal por epitélio colunar. A metaplasia intestinal no esôfago de Barrett é considerada por muitos como o principal fator de risco para o desenvolvimento do adenocarcinoma. Embora já descrito, o adenocarcinoma do tipo difuso e o esôfago de Barrett sem metaplasia intestinal, são raros e pouco estudados. OBJETIVO E MÉTODO: O presente estudo objetivou o cálculo da prevalência do adenocarcinoma no esôfago de Barrett, assim como a análise macroscópica e microscópica detalhada de treze pacientes operados no período de 1990 a 2002, com realização de estudo imunohistoquímico do p53 e Ki67, correlacionando o tipo de tumor com o epitélio adjacente a este. RESULTADOS: Obtivemos uma prevalência de 5,7% de adenocarcinoma em pacientes internados para tratamento cirúrgico de esôfago de Barrett . Encontraram-se tumores relativamente grandes, com média de 4,67 ± 2,28 cm, e sempre em esôfago de Barrett longo, com média de 7,71 ± 1,5 cm. Observou-se tendência de os tumores se localizarem próximos à transição escamo-colunar. O estudo histológico mostrou dois pacientes (15,4%) que apresentavam esôfago de Barrett adjacente ao tumor do tipo juncional sem presença de metaplasia intestinal. Classificaram-se os tumores segundo a classificação japonesa de Nakamura (23% de padrão diferenciado ou intestinal e 77% de padrão indiferenciado ou gástico) e pela classificação de Laurén (61% intestinais e 39% difusos). A diferença decorre da migração dos tumores microtubulares e foveolares do padrão gástrico para o tipo intestinal de Laurén. O estudo do Ki67 foi fortemente positivo em todos os pacientes, mostrando o alto índice de proliferação celular no epitélio colunar e no tumor. O p53 mostrou-se negativo em 66,7% dos pacientes no epitélio colunar e 41,7% no tumor, não mostrando correlação entre os dois materiais. CONCLUSÃO: O adenocarcinoma se desenvolve sobre o esôfago de Barrett a partir do epitélio colunar misto, intestinal, bem como do juncional, apresentando padrão tanto gástrico como intestinal; portanto tumores podem se desenvolver em epitélio colunar sem metaplasia intestinal o qual também deve ser seguido, principalmente quando for extenso.

Keywords : Esôfago de Barrett; Refluxo Gastroesofágico; Neoplasia de Esôfago; Adenocarcinoma; Imunohistoquímica.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License