SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 issue3The level of nicotine dependence is an independent risk factor for cancer: a case control studyAngiogenesis as an indicator of metastatic potential in papillary thyroid carcinoma author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Clinics

Print version ISSN 1807-5932On-line version ISSN 1980-5322

Abstract

ROCHA-E-SILVA, Roberto et al. Revascularização coronariana com uso de artéria torácica interna esquerda e artéria radial esquerda: estudo comparativo da evolução clínica imediata entre cirurgias eletivas e emergências. Clinics [online]. 2005, vol.60, n.3, pp.227-232. ISSN 1980-5322.  http://dx.doi.org/10.1590/S1807-59322005000300008.

O uso de artéria torácica interna esquerda para descendente anterior se tornou fundamental na revascularização do miocárdio. Este enxerto levou ao aumento da utilização de enxertos arteriais, dos quais a artéria radial é muito popular. O uso de artéria radial em pacientes de emergência foi pouco estudado. Este estudo compara a evolução clínica imediata entre revascularização do miocárdio eletiva vs. emergência com artéria torácica interna esquerda e artéria radial. MATERIAL E MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 47 pacientes que se submeteram a revascularização do miocárdio eletiva ou de emergência entre 1996 e 2003. Apresentavam estenose crítica (>70%) em todas as artérias alvo. Apenas a artéria torácica interna esquerda e a artéria radial foram utilizadas. Os pacientes constituíram dois grupos: eletivo (23 casos) e emergência (24 casos). Critérios de emergência foram angina instável e/ou estenose coronariana crítica com alto risco de infarto agudo do miocárdio. Os grupos eram homogêneos para idade e artérias acometidas. RESULTADOS: A média de enxertos de artéria torácica interna esquerda por paciente eletivo e de emergência foi respectivamente 1,17 e 1,38 (P=.17). A média de enxertos de artéria radial por paciente eletivo e de emergência foi respectivamente 2,26 e 2,08 (P=.48). A mortalidade até 30 dias foi zero. No pós-operatòrio não ocorreram casos de choque cardiogênico. Um paciente eletivo (4,4%) e 5pacientes de emergência (20,8%) apresentaram infarto agudo do miocárdio no pós-operatório; tendência não significativa para ocorrência de infarto agudo do miocárdio no grupo de emergência (P=.18). Tempo de internação na unidade de terapia intensiva e hospitalar foi semelhante nos dois grupos. CONCLUSÃO: A revascularização do miocárdio com utilização de artéria torácica interna esquerda e artéria radial pode ser realizada em pacientes de emergência com resultados equivalentes aos pacientes eletivos.

Keywords : Revascularização do miocárdio; Condutos arteriais; Artéria radial; Emergência; Doença coronária.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License