SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 número3Coronary revascularization with the left internal thoracic artery and radial artery: comparison of short-term clinical evolution between elective and emergency surgeryHypertension and depression índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Clinics

versión impresa ISSN 1807-5932

Resumen

STABENOW, Elaine et al. Angiogênese como indicador do potencial de metástase no carcinoma papilífero tireóideo. Clinics [online]. 2005, vol.60, n.3, pp. 233-240. ISSN 1807-5932.  http://dx.doi.org/10.1590/S1807-59322005000300009.

O desenvolvimento dos tumores depende da formação de neovasos, a angiogênese. Em algumas neoplasias, a alta densidade de microvasos tumorais correlaciona-se com a presença de metástase. OBJETIVO: Determinar se a medida da angiogênese pode indicar o potencial de metástase e o prognóstico do carcinoma papilífero tireóideo. MÉTODO: Foi feita análise retrospectiva de 30 tireoidectomizados, divididos em dois grupos de 15 indivíduos cada, respectivamente com e sem metástase. A partir dos blocos de parafina, foi calculada a densidade de microvasos no tecido tumoral por meio da quantificação da expressão do anticorpo CD34 pela imunohistoquímica. A associação da densidade de microvasos com a presença de metástase, ocorrência de recidiva e os grupos de risco do índice prognóstico AMES foi determinada por análise estatística. RESULTADOS: A mediana da densidade de microvasos no grupo de doentes sem metástase (200,0 microvasos/mm2) foi inferior àquela dos portadores de metástase (254,4 microvasos/mm2) (p = .2), sem atingir significância estatística. Ao considerar apenas os subtipos histológicos clássico e de células altas, essa diferença tornou-se significante (p = .02), uma vez que a variante folicular exibiu maior DMV que os demais subtipos, independente da presença de metástase. Houve tendência não significativa à maior densidade de microvasos entre aqueles que apresentaram recidiva (294,4 microvasos/mm2 contra 249,6 microvasos/mm2, p = .11). Nos grupos de baixo e alto risco, a mediana da densidade de microvasos foi de 304,0 microvasos/mm2 e 229,6 microvasos/mm2 respectivamente (p = .27). CONCLUSÃO: A angiogênese foi mais intensa nos tumores com metástase nos subtipos clássico e de células altas, sugerindo que a contagem de microvasos pode ser um indicador do potencial de metástase nestes subtipos histológicos do carcinoma papilífero tireóideo. Doentes que evoluíram com recidiva tenderam a exibir maior angiogênese, porém não houve associação da densidade de microvasos e o índice prognóstico.

Palabras llave : Carcinoma papilífero tireóideo; Metástase linfonodal; Angiogênese; CD34; Prognóstico.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés