SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 número2Genotipagem de multilocus de Cryptosporidium hominis associado a surto diarréico em creche de São PauloResultado da meniscectomia no tratamento da lesão meniscal isolada: Correlação entre os resultados obtidos e a etiologia da lesão índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Clinics

versão impressa ISSN 1807-5932versão On-line ISSN 1980-5322

Resumo

REBELLO, Celso M.  e  RAMOS, José Lauro A.. Associação entre histocompatibilidade genética materno-fetal e desnutrição materna em camundongos: influência no crescimento fetal. Clinics [online]. 2006, vol.61, n.2, pp.127-132. ISSN 1807-5932.  http://dx.doi.org/10.1590/S1807-59322006000200007.

OBJETIVO: Avaliar os efeitos da histocompatibilidade genética materno-fetal e sua associação com a desnutrição materna em relação ao crescimento fetal e número de fetos. MÉTODOS: Fetos singênicos ou alogênicos em relação às respectivas mães foram obtidos através de cruzamentos de camundongos com linhagens genéticas bem definidas (A/J e Balb/c). As fêmeas grávidas foram alimentadas ad libitum com dieta normal contendo 22% de proteínas ou dieta com restrição, contendo 14% de proteína e aporte máximo de 70% do total consumido pelo grupo em dieta livre. No final da gestação, o número de unidades feto-placentárias e de perdas fetais, o peso da placenta e do feto, assim como o peso do cérebro e do fígado foram anotados. RESULTADOS: Os fetos das mães submetidas à desnutrição mostraram redução no peso corpóreo, placentário e cerebral (p<0.01), sendo que a associação entre a compatibilidade genética materno-fetal resultou em maior restrição ao crescimento fetal (p<0.01). Foi observada uma redução no número de fetos viáveis por fêmea entre os animais do grupo de restrição nutricional (p<0.01). Embora a ocorrência de compatibilidade genética materno-fetal tenha resultado na redução do número de fetos viáveis e numa tendência ao aumento de perdas fetais, esta diferença não foi significante. CONCLUSÕES: Em camundongos, a ocorrência de histocompatibilidade genética materno-fetal não modificou o crescimento fetal; a desnutrição materna durante a gestação resultou em retardo de crescimento fetal com menor tamanho da ninhada, e a associação dos dois fatores aumentou a redução do peso fetal.

Palavras-chave : Crescimento fetal; Retardo de crescimento intra-uterino; Histocompatibilidade; Distúrbios nutricionais; Gestação.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons