SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 issue3Hypertonic saline solution increases cerebral perfusion pressure during clinical orthotopic liver transplantation for fulminant hepatic failure: preliminary resultsNoninvasive mechanical ventilation in the treatment of acute cardiogenic pulmonary edema author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Clinics

Print version ISSN 1807-5932On-line version ISSN 1980-5322

Abstract

HADDAD, Maria Aparecida Onuki; LOBATO, Frederico José Correa; SAMPAIO, Marcos Wilson  and  KARA-JOSE, Newton. População infantil com deficiência visual: estudo de 385 casos. Clinics [online]. 2006, vol.61, n.3, pp.239-246. ISSN 1807-5932.  http://dx.doi.org/10.1590/S1807-59322006000300009.

OBJETIVO: Analisar as características da população infantil atendida no Serviço de Visão Subnormal da Clínica Oftalmológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. MÉTODOS: Avaliação oftalmológica de 385 crianças e adolescentes, de abril de 1998 a dezembro de 2003, com idade média de 7 anos; 51,7% do sexo masculino e 48,3% do sexo feminino. Idade, diagnóstico oftalmológico, localização anatômica da lesão ocular, acuidade visual e auxílios ópticos adaptados foram observados. RESULTADOS: 45,4% tinham idade inferior a 6 anos e 54,6% tinham entre 6 e 16 anos de idade. 35,5% apresentavam baixa visão moderada, 26% baixa visão grave, 8,6% baixa visão profunda, 10,6% quase cegueira e 1,6% cegueira. As principais causas da deficiência visual foram: glaucoma congênito (30,6%), retinocoroidite macular por toxoplasmose congênita (16,7%), catarata congênita (12,8%), doenças hereditárias da retina e mácula (11,7%) e atrofia óptica (9,8%). Na população de crianças em idade escolar, 52,9% tiveram auxílios ópticos adaptados. Os auxílios ópticos para longe mais utilizados foram os sistemas telescópicos de 2,8X 26 (34,4%), de 4,2 X 12 (30,3%) e de 6 X 17 (26,8%). O auxílio óptico para perto mais adaptado foi a barra de ampliação de 2 X de aumento (33,3%). CONCLUSÕES: Necessidade de prevenção primária (infecções congênitas), prevenção secundária (glaucoma congênito e retinopatia da prematuridade) e prevenção terciária (catarata congênita). A adaptação de auxílios ópticos nas crianças em idade escolar irá colaborar para o seu maior desempenho escolar e sua inclusão social.

Keywords : Cegueira; Baixa visão; Reabilitação; Glaucoma congênito; Toxoplasmose congênita.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License