SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 número4Impacto do rastreamento clínico e genético para neoplasia endócrina múltipla tipo 1Aumento do estresse oxidativo após hipotermia em ratos com pancreatite induzida por ceruleína índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Clinics

versão impressa ISSN 1807-5932

Resumo

FARAH, Vera de Moura Azevedo et al. Modulação autonômica da pressão arterial e variabilidade da freqüência cardíaca em ratos hipertensos e diabéticos. Clinics [online]. 2007, vol.62, n.4, pp. 477-482. ISSN 1807-5932.  http://dx.doi.org/10.1590/S1807-59322007000400015.

OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi investigar a modulação autonômica do sistema cardiovascular em ratos espontâneamente hipertensos (SHR) e diabéticos por estreptozotocina (STZ), avaliando a sensibilidade do reflexo barorreceptor e a variabilidade da pressão arterial e da freqüência cardíaca. MÉTODOS: Ratos SHR machos foram divididos em grupos controle (SHR) e diabéticos (SHR+DM, 5 dias após STZ). A pressão arterial (PA) e a sensibilidade dos barorreceptores (avaliada pelas respostas taquicárdicas e bradicárdicas a alterações da PA) foram monitoradas. Os sinais de pressão arterial sistólica (PAS) e o intervalo de pulso (IP) foram analisados no domínio do tempo e da freqüência pelo método autoregressivo sendo quantificados os componentes oscilatórios de baixa (BF: 0,2-0,6Hz) e alta (AF:0,6-3,0Hz) freqüência. RESULTADOS: A PA média e a freqüência cardíaca estavam reduzidas no grupo SHR+DM (131±3 mmHg e 276±6 bpm) em relação ao grupo SHR (160±7 mmHg e 330±8 bpm). A bradicardia reflexa a aumentos de PA estava atenuada no grupo SHR+DM quando comparada ao grupo SHR (0,55±0,1 vs 0,97±0,1 bpm/mmHg). A variabilidade da PAS no domínio do tempo (desvio padrão batimento-a-batimento da série temporal da PAS) foi menor no grupo SHR+DM (3,1±0,2 mmHg) quando comparada ao grupo SHR (5,7±0,6 mmHg). O desvio padrão do IP foi semelhante entre os grupos. O diabetes reduziu o componente BF da PAS (3,3±0,8 vs 28,7±7,6 mmHg2 no SHR), mas não alterou o componente AF da PAS. Em relação aos componentes oscilatórios do IP não houve diferença entre os grupos. CONCLUSÕES: Estes resultados sugerem que a associação de hipertensão e diabetes causa uma importante diminuição da modulação simpática cardiovascular periférica que poderia, pelo menos em parte, ser responsável pela redução da PA. Além disso, este estudo demonstra que o diabetes pode, de fato, piorar a já reduzida função de tamponamento dos barorreceptores ao mesmo tempo em que reduz a pressão arterial.

Palavras-chave : Hipertensão; Diabetes; Análise Espectral; Função Cardiovascular; Sensibilidade do Barorreflexo.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês