SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.80 número2Translocação dos herbicidas glyphosate e imazamox em plantas de aguapéControle de doenças fúngicas e de danos por frio em pós-colheita de lima ácida Tahiti índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos do Instituto Biológico

versão On-line ISSN 1808-1657

Resumo

BORTOLUZZI, L.; ALVES, L.F.A.; ALVES, V.S.  e  HOLZ, N.. Nematoides entomopatogênicos e sua interação com inseticida químico visando ao controle da broca-da-bananeira Cosmopolites sordidus Germar (Coleoptera: Curculionidae). Arq. Inst. Biol. [online]. 2013, vol.80, n.2, pp.183-192. ISSN 1808-1657.  http://dx.doi.org/10.1590/S1808-16572013000200007.

A broca-da-bananeira (Cosmopolites sordidus) é a principal praga dos cultivos de banana, acarretando perdas significativas na produtividade da cultura, sendo recomendados inseticidas químicos para seu controle, os quais causam impacto ambiental. Por outro lado, os nematoides entomopatogênicos podem ser uma alternativa para o controle da praga, principalmente devido aos seus hábitos. Assim, este trabalho teve como objetivo avaliar isolados de nematoides entomopatogênicos em condições de laboratório e a interação com inseticida químico (carbofurano), visando a sua utilização no controle da broca. Foram testados 16 isolados das famílias Sterinernematidae e Heterorhabditidae, aplicados sobre pseudocaule de banananeira (100 JIs/cm2) e comparados entre si quanto à  mortalidade causada em indivíduos adultos de C. sordidus. Os isolados mais infectivos foram submetidos a experimentos de multiplicação in vivo no hospedeiro Galleria mellonella e de interação com o inseticida carbofurano incluindo, neste caso, análise de viabilidade e infectividade dos nematoides expostos ao produto, bem como o efeito do inseticida sobre as bactérias simbiontes dos nematoides entomopatogênicos. Os experimentos dessa fase foram conduzidos em delineamento inteiramente casualizado, sendo os dados submetidos à ANOVA, com aplicação do teste de Tukey (p < 0,05). Os isolados mais virulentos foram o IBCBn24 e IBCBn40 (respectivamente 33,3% e 36,7% de mortalidade confirmada), os quais também apresentaram elevada multiplicação em cadáveres. O inseticida não afetou a viabilidade do isolado  IBCBn40, mas prejudicou sua infectividade, porém, não afetou  o desenvolvimento da bactéria simbionte.

Palavras-chave : Heterorhabditis; Steinernema; controle biológico; inseticida químico.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons