SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.85Efeitos letais e subletais de agrotóxicos utilizados em citros sobre o ácaro Panonychus citri (Acari: Tetranychidae)Determinação da heterogeneidade do genoma do vírus da leucose enzoótica bovina no estado de Santa Catarina, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos do Instituto Biológico

versão impressa ISSN 0020-3653versão On-line ISSN 1808-1657

Resumo

SUEKANE, Renato et al. Distribuição espacial de plantas infestadas por mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius, 1889) (Hemiptera: Aleyrodidae) em soja. Arq. Inst. Biol. [online]. 2018, vol.85, e0642016.  Epub 23-Ago-2018. ISSN 1808-1657.  https://doi.org/10.1590/1808-1657000642016.

A determinação do arranjo espacial da praga torna-se o primeiro passo para o estabelecimento de um plano de amostragem, pois, conforme o tipo de distribuição espacial da praga específica estudada, será necessário utilizar diferentes métodos de amostragem, variando o número e o tamanho da amostra na área. O presente trabalho objetivou estudar a distribuição espacial das plantas infestadas por Bemisia tabaci em condições de campo, na cultura da soja, por meio da determinação dos índices de agregação e dos testes de qui-quadrado de aderência para os principais tipos de distribuições teóricas de frequência. Os resultados mostraram que a porcentagem média de infestação da mosca-branca (B. tabaci) foi aumentando a partir do estádio V1, atingindo a máxima infestação de 60,3% no estádio R1. A partir do estádio R2, a porcentagem de infestação variou entre 20% e 40%. Os modelos de distribuições teóricas estudados indicam que o modelo poisson é o que melhor define a distribuição da mosca-branca.

Palavras-chave : arranjo espacial; biótipo B; índice de dispersão; Glycine max.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )