SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 número2Estudo de acurácia em cirurgia assistida por navegação na revisão cirúrgica de deformidade vertebralAvaliação clínica da vertebroplastia percutânea transpedicular índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Coluna/Columna

versão impressa ISSN 1808-1851

Resumo

LIMA JUNIOR, Paulo Candido de et al. Escoliose idiopática do adolescente (eia): perfil clínico e radiográfico da lista de espera para tratamento cirúrgico em hospital terciário de alta complexidade do Sistema Público de Saúde Brasileiro. Coluna/Columna [online]. 2011, vol.10, n.2, pp. 111-115. ISSN 1808-1851.  http://dx.doi.org/10.1590/S1808-18512011000200006.

OBJETIVO: Descrever através de estudo coorte transversal descritivo, os parâmetros clínicos e radiográficos dos pacientes portadores de escoliose idiopática do adolescente (EIA) que estão na lista de espera para tratamento cirúrgico eletivo em hospital universitário terciário de alta complexidade do Sistema Público de Saúde Brasileiro (SUS). MÉTODOS: Para definir o perfil clínico e radiográfico, coletamos os dados referentes à menarca, sexo, idade e dados radiográficos (sinal de Risser, ângulo de Cobb, Nash-Moe, classificação de King e classificação de Lenke), no momento da indicação do procedimento cirúrgico, e tempo de espera para a cirurgia. RESULTADOS: Dos 51 pacientes, 42 eram do sexo feminino e 9 do sexo masculino, com idade média de 15,53 anos (10-46 anos). Todos os pacientes apresentavam idade entre 10 e 17 anos no momento do diagnóstico. Em média a espera foi de 25,41 meses (variando de 2 a 180 meses). A idade média no momento da menarca foi 12,13 anos (11-14 anos), 10 pacientes não apresentavam menarca, e 23 pacientes esqueleticamente imaturas (Risser zero a três). O valor médio da curva principal foi 60,4 graus (variando de 40 a 120 graus). Os tipos de curva mais frequentes foram o tipo King III com 19 pacientes e Lenke 1BN com 11 pacientes. CONCLUSÃO: Em função da morbidade definida na literatura nos portadores de EIA não tratados e do tamanho da amostra, justifica-se medidas em termos de política pública para o tratamento destes pacientes no nosso meio.

Palavras-chave : Coluna vertebral; Escoliose; Radiografia; Curvaturas da coluna Vertebral; Adolescente.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · pdf em Português