SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número3Achados vestibulares em pacientes portadores de fibromialgia índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos Internacionais de Otorrinolaringologia

versão On-line ISSN 1809-4856

Resumo

BECKER, Karine Thaís et al. Reconhecimento de fala em indivíduos com e sem queixa clínica de dificuldade para entender a fala no ruído. Arquivos Int. Otorrinolaringol. (Impr.) [online]. 2011, vol.15, n.3, pp.276-282. ISSN 1809-4856.  http://dx.doi.org/10.1590/S1809-48722011000300002.

INTRODUÇÃO: Estudo clínico e experimental. Indivíduos com audição normal podem ser prejudicados em situações de comunicação desfavoráveis, o que interfere negativamente na inteligibilidade de fala. OBJETIVO: Verificar e comparar o desempenho de adultos jovens, normo-ouvintes, com e sem queixa clínica de dificuldade para entender a fala no ruído, utilizando sentenças como estímulo. MÉTODO: Foram avaliados 50 indivíduos, 21 do sexo masculino e 29 do feminino, com idades entre 19 e 32 anos, normoouvintes, divididos em dois grupos: sem e com queixa clínica de dificuldade de entender a fala no ruído. Utilizando o teste Listas de Sentenças em Português, realizou-se a pesquisa dos Limiares de Reconhecimento de Sentenças no Ruído, com os quais foram obtidas as relações sinal-ruído (S/R). O ruído competitivo foi apresentado a 65 dB NA. RESULTADOS: Os valores médios obtidos para as relações S/R na orelha direita, para o grupo sem queixa e o grupo com queixa, foram respectivamente -6,26 dB e -3,62 dB. Para a orelha esquerda, foram -7,12 dB e -4,12 dB. Foi verificada diferença estatisticamente significante tanto na orelha direita quanto na esquerda entre os dois grupos. CONCLUSÃO: Indivíduos normo-ouvintes com queixa clínica de dificuldade de entender a fala em ambientes ruidosos possuem maior dificuldade na tarefa de reconhecimento de sentenças no ruído quando comparados a sujeitos que não relatam essa dificuldade. Assim deve-se incluir na avaliação audiológica de rotina testes que empregam sentenças na presença de ruído competitivo, avaliando de forma mais confiável e eficiente o desempenho do reconhecimento de fala.

Palavras-chave : audição; percepção da fala; testes de discriminação da fala; ruído.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons