SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número1Quais as frequências audiométricas acometidas são responsáveis pela queixa auditiva nas disacusias por ototoxicidade após o tratamento oncológico?Relação entre nível de chumbo no sangue e desempenho nas habilidades do processamento auditivo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Arquivos Internacionais de Otorrinolaringologia

versão impressa ISSN 1809-4872

Resumo

GONCALVES, Cláudia Giglio de Oliveira et al. Caracterização dos limiares auditivos de odontólogos numa população da cidade de Curitiba - PR, Brasil. Arquivos Int. Otorrinolaringol. [online]. 2012, vol.16, n.1, pp. 32-38. ISSN 1809-4872.  http://dx.doi.org/10.7162/S1809-48722012000100004.

INTRODUÇÃO: Os odontólogos estão expostos ao ruído em seu local de trabalho, sendo susceptíveis para o desenvolvimento de perda auditiva sensorioneurais com características de induzida por ruído. OBJETIVO: Aanalisar os limiares auditivos de odontólogos caracterizando-os em relação ao gênero, idade e tempo de serviço. MÉTODO: A forma do estudo é corte transversal (ou seccional), prospectivo, que analisou os limiares auditivos de 115 odontólogos, através de audiometria tonal de 500Hz a 8000Hz por via aérea e via óssea. Foram analisados os limiares auditivos tonais do grupo de odontólogos por gênero, em relação à idade e tempo de serviço e aplicados procedimentos estatísticos para a edição dos dados. RESULTADOS: Observaram-se limiares auditivos tonais médios com configuração de entalhe acústico, sendo mais acentuados no gênero masculino. Há perda auditiva sensorioneural em 28(24,34%) odontólogos, 8 (14,54%) entre o gênero feminino e 20 (33,33%) entre o gênero masculino, a proporção de sujeitos com audição alterada é significativamente maior no gênero masculino (p=0,0208). Os limiares auditivos tonais para o gênero masculino apresentaram-se piores do que no feminino quando analisados por idade e tempo de serviço, porém os homens do estudo eram mais velhos e com mais tempo de serviço que as mulheres. CONCLUSÃO: Os odontólogos apresentaram perdas auditivas sensorioneurais com entalhe acústico (sendo mais presentes entre o gênero masculino) com piora auditiva com a idade e tempo de serviço, principalmente após 21 anos de trabalho.

Palavras-chave : odontólogos; doenças profissionais; efeitos do ruído; perda auditiva provocada por ruído.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português