SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 número2A midiatização, as narrativas de bicicleta e os fenômenos midiáticosUm corpo duplamente esfacelado: (in)visibilidade das vítimas de feminicídio em manchetes de jornal índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação

versão impressa ISSN 1809-5844versão On-line ISSN 1980-3508

Resumo

SOUZA, Fabiano Pereira de  e  FERRARAZ, Rogério. A música pop em David Lynch: canções de época em longas-metragens do diretor. Intercom, Rev. Bras. Ciênc. Comun. [online]. 2020, vol.43, n.2, pp.133-146.  Epub 04-Set-2020. ISSN 1980-3508.  https://doi.org/10.1590/1809-5844202027.

Canções pop e de gêneros adjacentes dos anos 1950 e 1960 são um recurso que o diretor americano David Lynch passou a usar em seus filmes a partir de “Veludo azul” (Blue velvet, 1986) e chegou, de forma esporádica, à temporada de 2017 da série televisiva “Twin Peaks”. O objetivo deste artigo é avaliar se e o quanto tal prática reiterou nesses longas-metragens o contraste com as imagens alcançado no sound design de Alan Splet na filmografia de Lynch por meio dos efeitos sonoros, considerando-se ainda conexões desse uso com teorias do contemporâneo e da cultura pop. Para isso, são analisados os filmes “Veludo azul”, “Coração selvagem” (Wild at heart, 1990), “A estrada perdida” (Lost highway, 1997), “Cidade dos sonhos” (Mulholland Dr., 2001) e “Império dos sonhos” (Inland empire, 2006). Conclui-se que efeitos de sincronia e diacronia operam em simultaneidade, ressignificando e presentificando o passado dessas canções pop.

Palavras-chave : David Lynch; Pop; Trilha sonora; Música; Contraste sonoro.

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )