SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número2Envelhecimento bem-sucedido e as aprendizagens no esporte competitivo: uma forma de adaptação de atletas que praticam corridaAutopercepção das condições bucais em uma população de idosos da cidade de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

versão impressa ISSN 1809-9823

Resumo

SANTOS, Cinthya Catarine Costa dos et al. Análise da função cognitiva e capacidade funcional em idosos hipertensos. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. 2011, vol.14, n.2, pp.241-250. ISSN 1809-9823.  http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232011000200006.

A alteração da pressão arterial no idoso vem sendo estudada como sendo um fator de risco para o déficit na cognição e na capacidade funcional. OBJETIVOS: investigar a função cognitiva e a capacidade funcional e sua correlação em idosos hipertensos (GH) e normotensos (GN). MÉTODOS: estudo observacional, analítico e transversal, com 56 idosos divididos em dois grupos GH (n=42) e GN (n=14) avaliados através do Mini-Exame do Estado Mental (MEEM), Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) e bateria de testes de aptidão física (Functional Fittness Test). ANÁLISE ESTATÍSTICA: os dados foram avaliados utilizando o teste t de Student, o teste do Qui-quadrado e o teste de correlação de Pearson através do SPSS 17.0, sendo atribuído o nível de significância de 5% para todos os testes. RESULTADOS: houve correlação negativa, porém fraca entre os grupos GH e GN quanto ao déficit cognitivo (r=-0,23; p=0,08), força de MMII (r=-0,24; p=0,08) e a endurance aeróbica - TME2' (r=-0,31 e p =0,02). Em relação aos testes de flexibilidade de MMSS e MMII, houve correlação negativa moderada entre o grupo GH e GN (r=-0,62; p<0,001 e r=-0,39; p=0,003) e correlação positiva moderada para agilidade e equilíbrio - TUG (r=0,38 e p=0,004). Foi encontrada diferença significativa para o nível de atividade física entre GH e GN com p<0,001. CONCLUSÕES: esses achados sugerem que a hipertensão arterial afeta diretamente o idoso na medida em que predispõe o declínio cognitivo e limita a capacidade do indivíduo de realizar suas atividades básicas de forma independente, diminuindo a mobilidade funcional principalmente se associada a outras comorbidades e a hábitos de vida não saudáveis.

Palavras-chave : Saúde do idoso; Pressão arterial; Hábitos; Hipertensão; Envelhecimento; Cognição; Aptidão Física.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons