SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número2Análise da função cognitiva e capacidade funcional em idosos hipertensosHipertensão arterial sistêmica: aspectos clínicos e análise farmacológica no tratamento dos pacientes de um setor de psicogeriatria do Instituto Bairral de Psiquiatria, no município de Itapira, SP índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

versão impressa ISSN 1809-9823

Resumo

MIRANDA, Leonardo de Paula; SILVEIRA, Marise Fagundes; MIRANDA, Luciana de Paula  e  BONAN, Paulo Rogério Ferreti. Autopercepção das condições bucais em uma população de idosos da cidade de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. 2011, vol.14, n.2, pp.251-269. ISSN 1809-9823.  http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232011000200007.

O objetivo deste trabalho foi investigar a autopercepção das condições bucais em uma população de idosos não-institucionalizados da cidade de Montes Claros. A pesquisa objetivou ainda verificar a associação existente entre a autopercepção e as características sociodemográficas, necessidades odontológicas, condições sistêmicas e uso de medicações nos indivíduos pesquisados. Trata-se de um estudo descritivo transversal com uma amostra do tipo aleatória simples (n=204). A autopercepção foi avaliada através do Índice de Determinação da Saúde Bucal Geriátrica (GOHAI). De acordo com os resultados obtidos, 53,9% dos idosos eram do gênero feminino; 53,9% não eram casados; 57,8% possuíam idade entre 60 e 69 anos; 84,9% não eram brancos; 69,1% eram analfabetos; 56,4% tinham renda per capita > ½ salário mínimo; 59,8% foram ao dentista há três anos ou mais; 52,9% realizaram a última consulta no serviço público; 63,7% eram edêntulos; 67,2% usavam algum tipo de prótese; 77% necessitavam de prótese e 81,4% não possuíam alteração de tecido mole. Destes, 31,9% apresentavam doença periodontal; o CPO-D médio foi 29,39; 91,2% apresentavam alguma doença sistêmica; 78,4% usavam medicação e a maior parte (36,3%) autopercebeu a condição bucal como regular. Na análise multivariada, foi verificado que os idosos que necessitavam de algum tipo de prótese dentária e não possuíam cônjuge apresentaram maiores chances de ter uma baixa autopercepção das condições bucais. De maneira geral, percebeu-se que a maioria dos idosos possuía uma condição socioeconômica satisfatória; apresentava necessidades odontológicas normativas; tinha alguma doença sistêmica; usava medicação e autopercebeu a saúde bucal como regular ou ruim, condizente com a avaliação profissional.

Palavras-chave : Prestação de Assistência Odontológica; Autoprecepção; Saúde do idoso; Autoavaliação; Idoso; Saúde bucal.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons