SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número4Prevalência de fragilidade fenotípica em pessoas em processo de envelhecimento numa comunidade portuguesaQualidade de vida e situação de saúde de idosos: um estudo de base populacional no Sertão Central do Ceará índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

versão impressa ISSN 1809-9823versão On-line ISSN 1981-2256

Resumo

MATTIOLI, Rafaela Ávila; CAVALLI, Adriana Schüler; RIBEIRO, José Antônio Bicca  e  SILVA, Marcelo Cozzensa da. Associação entre força de preensão manual e atividade física em idosos hipertensos. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. 2015, vol.18, n.4, pp.881-891. ISSN 1809-9823.  http://dx.doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14178.

Introdução:

A força de preensão manual é um excelente indicador de funcionalidade, estado nutricional e mortalidade em idosos

. Objetivo:

Comparar a força de preensão manual de idosos hipertensos classificados em diferentes níveis e tipos de atividade física.

Método:

O delineamento foi do tipo transversal e a amostra contou com 80 indivíduos, divididos em três grupos de atividade física, conforme seção delazer e deslocamento do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) - versão longa: praticantes ativos (≥150 min./semana), insuficientemente ativos (<150 min./semana) e inativos (<10 min./semana). Os indivíduos ativos também foram separados por tipo de prática de atividade física: ginástica, hidroginástica e musculação. A força foi avaliada por meio do dinamômetro da marca Jamar e consistiu na realização do movimento de preensão manual contínuo, com duração de 30 segundos. Também foram coletadas informações sociodemográficas, econômicas e comportamentais. Foram utilizados os testes estatísticos ANOVA e teste T pareado para comparação de médias de força (nível de significância p<0,05).

Resultados:

A média de preensão manual do lado dominante e não dominante dos indivíduos foi de, respectivamente, 24,2 kgf (+8,3) e 22,0 kgf (+7,3). Não houve diferença significativa na média de força de preensão manual entre os grupos ativo e inativo, entretanto, quando avaliado o tipo de atividade física praticada, o grupo musculação apresentou médias de força significativamente superiores a dos grupos ginástica e hidroginástica.

Conclusão:

A força de preensão manual está mais associada ao tipo de atividade física praticada do que ao tempo disponibilizado para a prática semanal.

Palavras-chave : Força Muscular; Força da Mão; Dinamômetro de Força Muscular; Hipertensão; Idoso; Atividade Motora.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )