SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número6Incontinência dupla: fatores associados e impacto sobre a qualidade de vida em mulheres atendidas em serviço de referênciaComportamento da pressão arterial após uma sessão de exercícios físicos combinados em idosas hipertensas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

versão impressa ISSN 1809-9823versão On-line ISSN 1981-2256

Resumo

ALEXANDRINO, Arthur et al. Avaliação do índice de vulnerabilidade clínico-funcional em idosos. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. 2019, vol.22, n.6, e190222.  Epub 15-Maio-2020. ISSN 1981-2256.  http://dx.doi.org/10.1590/1981-22562019022.190222.

Objetivo:

Avaliar o índice de vulnerabilidade clínico-funcional (IVCF) em idosos e sua relação com indicadores socioeconômicos, comportamentais e clínico-terapêuticos.

Método:

Estudo epidemiológico transversal de desenho quantitativo com 318 idosos vinculados à Estratégia Saúde da Família e aleatoriamente sorteados. Os dados foram coletados por meio do questionário IVCF-20 e a análise subsidiada pela estatística descritiva, bivariada e multivariada, considerando significância quando o p-valor <0,05.

Resultados:

A maior parte dos idosos (59,1%) é considerada frágil ou potencialmente frágil. Entre os grupos estudados, houve diferença estatisticamente significativa do IVCF com relação às variáveis faixa etária (p<0,001), alfabetização funcional (p=0,001), consumo de álcool (p<0,001), prática de exercícios físicos (p<0,001), problemas de saúde autorreferidos (p<0,001) e uso de medicamentos (p<0,001), além de correlação positiva com o estresse (r=0,135; p=0,016). No modelo de regressão linear múltipla, o conjunto de variáveis preditoras sociodemográficas explicam a fragilidade de idosos em 30,4% (R2=0,304).

Conclusões:

O avançar da idade, enquanto variável não controlável, aponta a necessidade de estimular a manutenção da funcionalidade na velhice a partir da proposição de estratégias de atenção à saúde de modo a prolongar a longevidade com segurança, autonomia e vitalidade.

Palavras-chave : Envelhecimento; Saúde do Idoso; Fragilidade; Avaliação Geriátrica; Educação em Saúde; Vulnerabilidade em Saúde.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )