SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue6Clothing interference in performance, articular range of motion and comfort in labor gymnasticsLow back pain and corporal balance of female Brazilian selection canoeing flatwater athletes author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano

On-line version ISSN 1980-0037

Abstract

SANTOS, Lidianne Teixeira Aires et al. Efeitos da cinesioterapia sobre os níveis de IGF-1, força muscular e autonomia funcional em mulheres idosas. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. [online]. 2010, vol.12, n.6, pp. 451-456. ISSN 1980-0037.  http://dx.doi.org/10.5007/1980-0037.2010v12n6p451.

Os níveis de fator de crescimento insulina símile tipo 1 (IGF-1), força muscular e autonomia funcional, tendem a declinar com a idade. O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos da cinesioterapia sobre os níveis de IGF-1, força muscular e autonomia funcional em mulheres idosas com disfunções musculoesqueléticas. A amostra de 52 idosas foi dividida aleatoriamente em dois grupos iguais: Grupo Experimental (GE, idade: 68,52 ± 4,68 anos; IMC: 28,05 ± 20,83), submetido a 12 semanas de cinesioterapia, e Grupo Controle (GC, idade: 67,52 ± 7,34 anos; IMC: 26,96 ± 4,01). Foram avaliados os níveis séricos de IGF-1 através do método de Quimioluminescência e de força muscular através do teste de uma repetição máxima (1RM) nos movimentos de flexão (FQ) e extensão de quadril (EQ), flexão (FO) e extensão de ombro (EO) e a autonomia funcional, através do protocolo GDLAM. A ANOVA de medidas repetidas mostrou que o GE aumentou os níveis de IGF-1 (Δ=19,74 ng/ml; p=0,028) do pré para o pós-teste. O GE aumentou os níveis de força muscular nos exercícios de flexão (ΔFO=1,26 kg; p=0,001) e extensão de ombros (ΔEO=1,90 kg; p=0,0001) e de extensão (ΔEQ=2,52 kg; p=0,0001) e flexão de quadril (ΔFQ=2,82 kg; p=0,0001) do pré para o pós-teste. O GE reduziu os escores do IG (Δ= -16,73; p=0,004) do pré para o pós-teste. Concluiu-se que, através do exercício resistido, podem-se obter resultados positivos sobre os níveis de IGF-1, força muscular e autonomia funcional em mulheres idosas com disfunção musculo-esquelética.

Keywords : Autonomia funcional; Idosas; IGF-1; Força muscular.

        · abstract in Portuguese     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese