SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 issue5Association between perception of body image and stages of behavioral changes among physical education university studentsCorrelation of the bottom turn technique with the scores attributed in high performance surfing author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano

On-line version ISSN 1980-0037

Abstract

BATALHA, Nuno Miguel Prazeres et al. Perfil de força isocinética dos rotadores dos ombros em jovens nadadores. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. [online]. 2012, vol.14, n.5, pp.545-553. ISSN 1980-0037.  http://dx.doi.org/10.5007/1980-0037.2012v14n5p545.

Considerando que alguns estudos sugerem que desequilíbrios musculares dos rotadores dos ombros estão relacionados com dores e lesões na articulação e que não existem dados normativos para jovens nadadores, o objetivo deste estudo foi: i) caracterizar o equilíbrio e fadiga musculares bem como o perfil de força isocinética dos rotadores dos ombros em nadadores jovens; ii) comparar os resultados entre nadadores com jovens não praticantes; iii) contribuir para a criação de dados normativos de rácios unilaterais dos rotadores do ombro. Foi avaliada a força isocinética com ações concêntricas dos rotadores e respectivos rácios unilaterais (quociente entre torque dos rotadores externos e internos) em 60 nadadores (idade: 14,55 ± 0,5 anos; massa corporal: 61,16 ± 7,08 kg) e 60 não praticantes (idade: 14,62 ± 0,49 anos; massa corporal: 60,22 ± 10,01 kg). Com um dinamômetro isocinético (Biodex System 3), avaliou-se na posição de sentado (90º de abdução e de flexão do cotovelo), às velocidades angulares de 60º.s-1 e 180º.s-1. Os resultados dos índices de fadiga não revelaram diferenças entre grupos. Os nadadores apresentaram rácios unilaterais entre os 73,39±17,26% no membro dominante (MD) e 77,89±15,23% no membro não dominante (MND), para avaliações efetuadas a 60º.s-1; a 180º.s-1, obtivemos resultados entre 74,77±13,99% para MD e 70,11±14,57% para MND. Os nadadores apresentaram um maior desequilíbrio muscular, sendo a capacidade de produção de força dos rotadores internos (significativamente superior nos nadadores) o que os distingue do grupo de não praticantes.

Keywords : Articulação do ombro; Força muscular; Manguito rotador; Natação.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License