SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 suppl.1Implementação da intervenção "Saúde na Boa": avaliação de processo e características dos estudantes permanecentes e não permanecentesEfetividade de uma intervenção de base escolar sobre o tempo de tela em estudantes do ensino médio índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano

versão On-line ISSN 1980-0037

Resumo

DEL DUCA, Giovâni Firpo et al. Efetividade em indicadores de atividade física de uma intervenção com estudantes do ensino médio. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum. [online]. 2014, vol.16, suppl.1, pp.13-24. ISSN 1980-0037.  https://doi.org/10.5007/1980-0037.2014v16s1p13.

A escola é um local favorável ao desenvolvimento de intervenções para o aumento da atividade física devido à possibilidade de alcançar simultaneamente grande número de indivíduos. O objetivo do estudo foi verificar a efetividade de uma intervenção para promoção da atividade física (projeto Saúde na Boa) em relação aos estágios de mudança do comportamento, prática de exercícios de força e do deslocamento ativo em estudantes do ensino médio. Trata-se de uma intervenção randomizada e controlada, realizada em Florianópolis e Recife durante o ano letivo de 2006. Foram investigados o deslocamento ativo (pontos de corte: ≥1 e ≥5 dias/semana), a prática de exercícios de força (pontos de corte: ≥1 dia/semana e alcance às recomendações relacionadas à saúde) e a mudança de comportamento para a prática de atividade física. Dos 2.155 participantes da linha de base, 989 foram avaliados no período pós-intervenção (45,9%). Comparado ao grupo controle, o grupo intervenção aumentou significativamente a prática de deslocamento ativo em ≥1 dia/semana (80,5% vs. 86,8%; p<0,001) e em ≥5 dias/semana (64,3% vs. 71,9%; p<0,001), a prática de exercícios de força em ≥1 dia/semana (41,4% vs. 46,0%; p=0,017) e o alcance das recomendações de sua prática relacionada à saúde (28,9% vs. 35,0%; p=0,002). O grupo intervenção alcançou maiores proporções em estágios fisicamente ativos de mudança do comportamento para a atividade física, comparado ao controle (p=0,004). Conclui-se que o projeto Saúde na Boa contribuiu de forma efetiva para o aumento da prática do deslocamento ativo, de exercícios de força e do status de atividade física.

Palavras-chave : Adolescente; Atividade motora; Estudos de intervenção; Força Muscular; Transportes.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )