SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número4Momento de início do delirium e prognóstico em pacientes idosos hospitalizados no sul do BrasilTeste de Fluência Verbal Semântica nas demências: análise preliminar retrospectiva índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Dementia & Neuropsychologia

versão impressa ISSN 1980-5764

Resumo

SUEMOTO, Claudia Kimie  e  BRAZILIAN AGING BRAIN STUDY GROUP et al. Association between cardiovascular disease and dementia. Dement. neuropsychol. [online]. 2009, vol.3, n.4, pp.308-314. ISSN 1980-5764.  https://doi.org/10.1590/S1980-57642009DN30400008.

Estudos longitudinais tem mostrado associação entre fatores de risco cardiovascular e demência. Entretanto, estes estudos não são capazes de detectar alterações cardiovasculares assintomáticas e podem, assim, fornecer estimativas de associação errôneas. Estudos de autópsia podem ser mais úteis em elucidar estas questões. O presente estudo clinicopatológico busca examinar a relação entre demência, fatores e doença cardiovascular.

Métodos:

603 sujeitos submetidos à autópsia foram classificados quanto à presença de demência, usando uma classificação cognitiva post-mortem. Dados demográficos, fatores de risco cardiovascular e doença cardiovascular comprovada anatomicamente (hipertrofia miocárdica, aterosclerose cerebral e carotídea) foram comparados entre indivíduos cognitivamente normais e com demência.

Resultados:

Déficit cognitivo esteve associado à idade avançada, acidente vascular cerebral, sedentarismo e baixo índice de massa corpórea (p<0,05). Aterosclerose do polígono de Willis foi maior em pacientes com demência do que em controles na análise univariada (p=0,01). Insuficiência cardíaca e parâmetros anatomopatológicos cardíacos foram mais graves entre o grupo controle que entre os indivíduos dementados (p<0,05). Aterosclerose de artérias carótidas e espessura íntima-média foram similares entre os grupos.

Conclusão:

Idade avançada, acidente vascular cerebral, sedentarismo e baixo índice de massa corpórea estiveram relacionados à demência. Aterosclerose de polígono de Willis esteve associada à demência, somente quando a idade não foi considerada. Nossos resultados sugerem que a aterosclerose de artérias cerebrais não está diretamente relacionada com a expressão clínica de demência.

Palavras-chave : aterosclerose; polígono de Willis; doença arterial carotídea; cardiomiopatia; demência..

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )