SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 número2Fatores associados às alterações morfométricas encefálicas durante o envelhecimento sem comprometimento cognitivoNormas brasileiras preliminares e a investigação dos efeitos de idade e escolaridade no desempenho dos testes Wisconsin de Classificação de Cartas modificado, Stroop de Cores e Palavras e Dígitos em adultos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Dementia & Neuropsychologia

versão impressa ISSN 1980-5764

Resumo

BRIGOLA, Allan Gustavo et al. Relação entre cognição e fragilidade em idosos: uma revisão sistemática. Dement. neuropsychol. [online]. 2015, vol.9, n.2, pp.110-119. ISSN 1980-5764.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-57642015DN92000005.

OBJETIVO:

Este estudo objetivou analisar a relação entre cognição e fragilidade em pessoas idosas.

MÉTODOS:

Realizou-se uma revisão sistemática da literatura sobre o assunto. A estratégia de busca incluiu as bases LILACS, SCOPUS, SciELO, PsycINFO, PubMed e Web of Science.

RESULTADOS:

Foram selecionados 19 estudos para revisão. Dos estudos, 10 (52,6%) eram transversais e 9 (47,4%) longitudinais, sendo a maioria brasileiros. Todos os estudos estabeleceram relação entre cognição e fragilidade. Componentes da fragilidade e os domínios cognitivos apresentaram-se relacionados. Risco de Comprometimento Cognitivo Leve (CCL), demência e mortalidade foi evidenciado a partir da relação entre fragilidade e alterações cognitivas.

CONCLUSÃO:

A literatura continua limitada, mas os resultados mostram as variáveis que parecem estar relacionadas à cognição e fragilidade em pessoas idosas. Esses dados poderão auxiliar na implantação de ações para melhorar a qualidade de vida desses idosos.

Palavras-chave : cognição; idoso fragilizado; saúde do idoso; demência.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )