SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número4FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR E DESEMPENHO COGNITIVO NO ENVELHECIMENTOGRAVE COMPROMETIMENTO DE MEMÓRIA EPISÓDICA APÓS INFARTO ESTRATÉGICO: UM ESTUDO DE CASO índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Dementia & Neuropsychologia

versão impressa ISSN 1980-5764versão On-line ISSN 1980-5764

Resumo

ENGELHARDT, Eliasz. APOPLEXIA, DOENÇA CEREBROVASCULAR E ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL: EVOLUÇÃO HISTÓRICA DOS TERMOS E DEFINIÇÕES. Dement. neuropsychol. [online]. 2017, vol.11, n.4, pp.449-453. ISSN 1980-5764.  https://doi.org/10.1590/1980-57642016dn11-040016.

O conceito de “apoplexia”, conhecido há muito tempo, pode ser seguida desde a Antiguidade, passando pela Idade Média e a Renascença e alcançando a era Moderna e os dias presentes, com uma nova designação, “acidente vascular cerebral”. A definição de “apoplexia” pode ser dividida, pela história da autópsia, em um período precedendo essa prática, que durou da Antiguidade até a Renascença, com um conceito guarda-chuva relativamente estável baseado na clínica, e em um período de autópsia da era Moderna, quando foi alcançada a separação dessa condição em diversos subtipos. Assim, levou cerca de 2.500 anos reunindo os numerosos fragmentos de informação para chegar a um quadro satisfatoriamente bem definido. O conceito de “acidente vascular cerebral” herdou tal informação desenvolvida para a “apoplexia”, incorporando todas as aquisições históricas, para formar o presente estado de conhecimento.

Palavras-chave : “apoplexia”; “acidente vascular cerebral”; doença cerebrovascular; história.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )