SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 issue1Evaluation of honey crystallization from the colour and water activity parameters author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Brazilian Journal of Food Technology

On-line version ISSN 1981-6723

Abstract

LADEIRA, Silvania Alves; DELATORRE, Andréia Boechat; ANDRADE, Marcela Vicente Vieira  and  MARTINS, Meire Lelis Leal. Nota Científica: utilização da pectina, proteínas do soro de queijo e água de maceração de milho para a produção de proteases por Bacillus sp. termofílico. Braz. J. Food Technol. [online]. 2012, vol.15, n.1, pp. 92-98. ISSN 1981-6723.  http://dx.doi.org/10.1590/S1981-67232012000100010.

As enzimas proteolíticas termoestáveis produzidas por microrganismos do gênero Bacillus possuem grande importância comercial, sendo sua aplicação predominante (35%) na indústria de detergentes. Neste trabalho, foi avaliada a produção de proteases pelo termofílico Bacillus  sp. SMIA-2, utilizando-se substratos de baixo custo. A fim de verificar a utilidade da protease para aplicações industriais, a estabilidade e a atividade da enzima a diferentes valores de pH e temperatura foram também estudadas. A atividade da protease secretada por Bacillus  sp. SMIA-2 em culturas submersas contendo 0,5% (m/v) de pectina de maçã, 0,1% (m/v) de proteínas do soro e 0,3% (m/v) de água de maceração de milho foi máxima após 24 h de incubação da cultura, com níveis de 54,3 U.mg-1 Proteína. A redução na concentração da pectina para 0,3% (m/v) e o aumento nos níveis das proteínas do soro para 0,3% (m/v) no meio de cultura aumentaram a produção da protease, que alcançou sua máxima atividade em 30 h, com níveis de 72,2 U.mg-1 Proteína. Estudos sobre a protease revelaram que as suas características mais importantes foram a alta temperatura ótima para atividade da enzima (70 °C) e a alta estabilidade em uma grande faixa de pH. A protease reteve em torno de 80% de sua atividade original quando incubada à temperatura ambiente por 2 h na faixa de pH entre 6,0 e 12,0. Essas propriedades constituem importantes vantagens para um possível uso da enzima em indústrias de detergentes.

Keywords : Proteases; Bacillus sp.; Bactéria termofílica; Detergentes.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese