SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22Evaluation of the process conditions for the production of microbial carotenoids by the recently isolated Rhodotorula mucilaginosa URM 7409Camu-camu harvested with reddish-green peel preserves its physicochemical characteristics and antioxidant compounds during cold storage author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Food Technology

On-line version ISSN 1981-6723

Abstract

LIMA, Gabriella Breder Lara et al. Leveduras isoladas de sorvetes de frutas tropicais: diversidade, susceptibilidade a antifúngicos e adesão a células epiteliais bucais. Braz. J. Food Technol. [online]. 2019, vol.22, e2018197.  Epub July 04, 2019. ISSN 1981-6723.  http://dx.doi.org/10.1590/1981-6723.19718.

Os sorvetes à base de frutas são produtos amplamente consumidos em países tropicais e, devido à sua composição, podem ser uma boa fonte de crescimento microbiano, incluindo patógenos oportunistas. Os objetivos deste estudo foram caracterizar as populações de leveduras presentes nos sorvetes brasileiros à base de frutas e investigar sua susceptibilidade aos antifúngicos anfotericina B, fluconazol e itraconazol, e a capacidade dos isolados, que puderam crescer a 37 °C, de aderir em células epiteliais bucais. Duzentos e sessenta e sete isolados de levedura obtidos das amostras de sorvete foram identificados como pertencentes a 29 espécies, com contagens variando de 1,5 a 5,2 log UFC/mL. As espécies predominantes foram Candida intermedia, Torulaspora delbrueckii, C. parapsilosis, Clavispora lusitaniae, Saccharomyces cerevisiae e Pichia kudriavzevii. Pelo menos 16 espécies de leveduras isoladas neste estudo foram relatadas como agentes patogênicos oportunistas. Quarenta e um isolados de leveduras apresentaram resistência ou susceptibilidade dose-dependente a pelo menos um dos antifúngicos testados. Um isolado de C. parapsilosis foi resistente a todos os antifúngicos testados e mostrou capacidade de aderir a células epiteliais bucais. A porcentagem de adesão foi alta principalmente para isolados de P. kudriavzevii, Meyerozyma guilliermondii, C. parapsilosis, S. cerevisiae e Debaromyces hansenii. Os dados sugerem que a presença dessas leveduras oportunistas como contaminantes nos sorvetes pode representar um risco para o consumidor final, especialmente para indivíduos imunocomprometidos que podem consumir esses produtos.

Keywords : Ocorrência de leveduras; Amostras de sorvetes; Atividade antifúngica; Adesão; Patógenos; Microrganismos oportunistas.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )