SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.63 número1Maxillofacial injuries among Brazilian children and adolescents victims of traffic accidentsImpact of malocclusion on oral health-related quality of life of preschool children índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


RGO - Revista Gaúcha de Odontologia

versión impresa ISSN 0103-6971versión On-line ISSN 1981-8637

Resumen

ROSOLEN, Alcir; BRIDI, Enrico Coser  y  BASTING, Roberta Tarkany. Resistência de união de diferentes materiais de colagem de bráquetes ao esmalte submetidos à ciclagem térmica. RGO, Rev. Gaúch. Odontol. [online]. 2015, vol.63, n.1, pp.25-32. ISSN 0103-6971.  http://dx.doi.org/10.1590/1981-863720150001000042957.

OBJETIVO:

Avaliar in vitro a resistência de união por cisalhamento de bráquetes ortodônticos metálicos ao esmalte utilizando diferentes materiais para colagem em função da quantidade de ciclos térmicos.

MÉTODOS:

Foram avaliados um sistema de união com resina composta fluida (Transbond XT/3M Unitek) e um ionômero de vidro modificado por resina (Fuji Ortho LC/GC America Inc.). Oitenta pré-molares humanos hígidos foram aleatoriamente divididos em oito grupos experimentais (n=10), de acordo com os tipos de material e quantidade de ciclos térmicos: zero, 1000, 2000 e 3000 ciclos. A colagem dos bráquetes foi realizada na face vestibular dos dentes. Após 24 horas, foram submetidos à ciclagem térmica com temperaturas de imersão entre 5ºC e 55ºC por 15 segundos. Os testes de resistência de união foram feitos em máquina de ensaios universal com ponta tipo cinzel com velocidade de 0,5 mm/min. Os dados foram submetidos à ANOVA a dois critérios.

RESULTADOS:

Não houve diferença na resistência de união entre bráquetes e o esmalte em função do número de ciclos térmicos (p = 0,873). Houve diferença significativa na resistência de união proporcionada entre os materiais para colagem (p = 0,022), sendo que valores significativamente superiores foram obtidos com a utilização do Transbond XT, independentemente do número de ciclos térmicos.

CONCLUSÃO:

A quantidade de ciclos térmicos não influenciou significativamente a resistência de união dos materiais. Transbond XT mostrou maior resistência de união do que o cimento Fuji Ortho LC, independentemente da quantidade de ciclos térmicos.

Palabras clave : Cimentos de Ionômeros de vidro; Cimentos de resina; Resistência ao cisalhamento.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )