SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.64 issue2Malocclusion in schoolhildren aged 7-12 years old in Minas Gerais, BrazilApproaches adopted by dentists for management of occlusal caries in primary teeth author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


RGO - Revista Gaúcha de Odontologia

Print version ISSN 0103-6971On-line version ISSN 1981-8637

Abstract

AZEVEDO, Marcella Quirino de ALMEIDA et al. Alterações ósseas degenerativas na ATM avaliadas por tomografia computadorizada de feixe cônico. RGO, Rev. Gaúch. Odontol. [online]. 2016, vol.64, n.2, pp.171-178. ISSN 1981-8637.  https://doi.org/10.1590/1981-863720160002000073191.

Objetivo

Avaliar as alterações ósseas degenerativas na cabeça da mandíbula e a mobilidade condilar com relação ao gênero e à faixa etária.

Métodos

A amostra foi constituída por 106 exames de TCFC para a região de ATM de pacientes com mais de 18 anos, do arquivo de uma clínica de radiologia odontológica, localizada na cidade de Campina Grande, PB, Brasil. As imagens foram obtidas com os pacientes em máxima intercuspidação e abertura de boca. As imagens foram examinadas por um radiologista, por meio do próprio software do tomógrafo Xoran CAT(r), usando-se um monitor com alta resolução e máxima qualidade de cor (12 bits) em ambiente com luz reduzida. Foram avaliados os aspectos tomográficos das alterações ósseas degenerativas (facetamento, erosão, osteófitos, esclerose óssea e pseudocisto) de ambas as ATM. As associações entre as alterações degenerativas e o sexo e a faixa etária foram investigadas por meio dos testes exato de Fisher, G e Qui-quadrado. Os dados obtidos quanto à excursão condilar (normoexcursão, hipoexcursão e hiperexcursão), segundo a localização também foram submetidos a análises descritivas.

Resultados

As alterações mais frequentes foram o facetamento (58,5%), seguido de osteófito (44,3%), erosão (22,6%), esclerose (13,2%) e pseudocisto (10,4%). Em relação à excursão condilar, observou-se que a normoexcursão foi a mais prevalente (71,7%).

Conclusão

As alterações ósseas degenerativas ocorreram de forma mais frequente em mulheres e de forma bilateral, e houve um aumento da frequência com a idade. Não foi encontrada correlação entre a excursão condilar e a presença de alterações na ATM, sendo a normoexcursão mais frequente.

Keywords : Articulação temporomandibular; Tomografia computadorizada; Osteoartrite..

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )