SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.67Investigação dos fatores psicológicos associados à língua fissuradaAnálise do sistema de referência e contrarreferência da Endodontia em um município da região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


RGO - Revista Gaúcha de Odontologia

versão impressa ISSN 0103-6971versão On-line ISSN 1981-8637

Resumo

MONTEIRO, Larissa Cavalcanti et al. Candida na cavidade oral de indivíduos pediátricos com LLA e sua susceptibilidade à nistatina e à anfotericina B. RGO, Rev. Gaúch. Odontol. [online]. 2019, vol.67, e20190018.  Epub 06-Maio-2019. ISSN 0103-6971.  http://dx.doi.org/10.1590/1981-86372019000183558.

Objetivo:

o objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência e colonização de Candida na cavidade oral de indivíduos pediátricos com leucemia linfocítica aguda (LLA) e sua susceptibilidade/resistência à nistatina e à anfotericina B.

Métodos:

estudo transversal observacional com abordagem descritiva e analítica. A saliva foi coletada de 40 indivíduos diagnosticados com LLA e de 40 indivíduos saudáveis, como grupo comparativo, combinados por idade e sexo com o grupo LLA. A idade média para ambos os grupos foi de 8 anos de idade. O isolamento e a identificação das espécies de Candida foram realizados utilizando o CHROMagarCandidaTM e confirmados pela reação em cadeia da polimerase. As amostras foram submetidas a susceptibilidade antifúngica por meio de ensaio de microdiluição para nistatina e anfotericina B. As alterações salivares e a mucosite oral induzida por quimioterapia foram avaliadas utilizando o Guia de avaliação modificada.

Resultados:

A positividade para Candida foi superior aos indivíduos in situ (32,5%, 13/40) do que em um grupo comparativo (2,5%, 1/40) (p <0,001). Candida albicans foi a cepa mais prevalente (86,6%). A mucosite foi diretamente associada à colonização positive por Candida (p = 0,017) no grupo LLA, mas não relacionada com alterações salivares (p = 0,479). Seis estirpes de C. albicans (54,5%), no grupo LLA, eram resistentes à nistatina e todas as cepas não eram suscetíveis à anfotericina B.

Conclusão:

A colonização por Candida foi associada à condição LLA e à mucosite oral nesses indivíduos. C. albicans era a cepa predominante e a maioria das amostras eram resistentes aos agentes antifúngicos testados, nistatina e anfotericina B.

Palavras-chave : Candida; Leucemia-linfoma linfoblástico de células precursoras; Prevalência.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )