SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número30A cultura cinematográfica nas exposições universais: modernidade e tradição na Paris de 1925Os procedimentos de controle e a resistência na prática jornalística índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Galáxia (São Paulo)

versão impressa ISSN 1519-311Xversão On-line ISSN 1982-2553

Resumo

SUPPIA, Alfredo Luiz. Em torno de cena e da sequência: problemas de categorização. Galáxia (São Paulo) [online]. 2015, n.30, pp.60-72. ISSN 1982-2553.  http://dx.doi.org/10.1590/1982-25542015220588.

Não existe consenso sobre o emprego dos termos "cena" e "sequência" na teoria e prática do roteiro cinematográfico. Para alguns, cena e sequência designam a mesma coisa: uma ação circunscrita a determinado tempo e lugar. Enquanto alguns autores explicam que uma sequência abarca uma ou mais cenas (FIELD, 1995; PARENT-ALTIER, 2004), outros adotam a lógica contrária: uma cena envolve uma ou mais sequências (MAMET, 2010; BRISELANCE e MORIN, 2011). Mas seria essa categorização de fato precisa e eficiente? Por que muitas vezes, informalmente ou não, diz-se "a cena do assalto" ou "a cena do banco", e noutras "a sequência do assalto" ou "a sequência do banco"? Para além de uma mera diferença de jargão, serão investigados aqui a precisão das categorias "cena" e "sequência", algo do histórico desses termos e seus usos correntes, no sentido de esclarecer dúvidas e controvérsias a respeito da unidade dramática no roteiro audiovisual, particularmente o roteiro cinematográfico.

Palavras-chave : roteiro; cena; sequência; semiologia do cinema.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )