SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número39Transmedia reception: theoretical-methodological perspectives and online television fiction audiencesThe disembodied gaze: plays of masks e in science-fiction cinema índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Galáxia (São Paulo)

versión impresa ISSN 1519-311Xversión On-line ISSN 1982-2553

Resumen

PRYSTHON, Ângela Freire. Uma pálida neblina: paisagem e melancolia no cinema italiano moderno. Galáxia (São Paulo) [online]. 2018, n.39, pp.53-71. ISSN 1519-311X.  http://dx.doi.org/10.1590/1982-255436857.

A partir de um panorama conceitual sobre a paisagem no cinema, que implica na distinção entre uma concepção cênica e territorializada em contraposição a uma função mais contemplativa e material do espaço, o objetivo desta apresentação é analisar quatro filmes de ficção italianos ambientados no Delta do Pó - “O grito” (1957) e “O deserto vermelho” (1964), de Antonioni; “A noite do massacre” (1960), de Vancini; e “O jardim dos Finzi-Contini” (1970), de de Sica. Esse pequeno conjunto, marcado por sua aderência ao cinema moderno italiano, revela também uma unidade pictórica. Nossa hipótese inicial é que a ambiência e a formação de estilo são simultaneamente determinadas e condensadas por características da paisagem na qual os filmes são localizados. Para desenvolver essa hipótese e para a análise baseio-me tanto no lastro teórico dos estudos da paisagem como em abordagens mais pontuais sobre a ambiência e a espacialidade no cinema moderno, além, evidentemente, da literatura sobre o cinema italiano moderno.

Palabras clave : paisagem; melancolia; cinema italiano moderno.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · Portugués ( pdf )