SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 issue3Postharvest diseases in citrus and characterization of the fungal population in São Paulo’s wholesale marketFirst report of Fusarium oxysporum f. sp. lilii and F. proliferatum affecting Lilium crops in Spain author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Tropical Plant Pathology

On-line version ISSN 1983-2052

Abstract

MAY-DE MIO, Louise L.; MOREIRA, Luciene M.; MONTEIRO, Lino B.  and  JUSTINIANO JUNIOR, Paulo R.. Infecção de Monilinia fructicola no período da floração e incidência de podridão parda em frutos de pessegueiro em dois sistemas de produção. Trop. plant pathol. [online]. 2008, vol.33, n.3, pp. 227-234. ISSN 1983-2052.  http://dx.doi.org/10.1590/S1982-56762008000300008.

A podridão parda (Monilinia fructicola) do pessegueiro foi avaliada objetivando comparar os sistemas de produção integrada (PI) e convencional (PC), em experimentos conduzidos nos municípios de Araucária e Lapa, ambos no Paraná, nas safras 2002/03 e 2003/04. Para tanto foi avaliada a infecção de M. fructicola em cinco fases da floração e a incidência da podridão parda em frutos na colheita, verificando correlação entre infecção de M. fructicola na floração com a incidência da doença em frutos na colheita. Durante o florescimento, a incidência do patógeno foi avaliada nas fases de gema inchada, botão rosado, botão aberto, plena floração, queda de pétalas. Na maturação dos frutos, avaliou-se a incidência de podridão parda considerando toda a produção no decorrer da colheita. Os dados de incidência da doença nas fases da floração foram agrupados em três covariáveis: total de estruturas doentes durante toda a floração (CV1), na plena (CV2) e na queda de pétala (CV3), analisadas em relação aos sistemas e correlacionando com a incidência na colheita. A presença do patógeno foi constatada somente nas estruturas florais, estames e estigma, a partir da flor totalmente aberta. A PI proporcionou menor incidência de doença durante a floração em 2002/03 em Araucária e nos dois anos, na Lapa. Na colheita houve 5% a mais de doença na PI em Araucária na safra 2002/03, no entanto na safra seguinte a doença apresentou a mesma intensidade nos dois sistemas. Na Lapa a PI foi mais eficiente no controle da doença. Houve correlação significativa para as covariáveis CV1 e CV3 na safra 2002/03.

Keywords : pêssego; controle; produção integrada; monitoramento.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese