SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número1MANEJO BIOLÓGICO DE PRATYLENCHUS BRACHYURUS NA CULTURA DA SOJAVIABILIDADE PRODUTIVA E RENTABILIDADE DO CONSÓRCIO CENOURA x CAUPI USANDO DIFERENTES QUANTIDADES DE Calotropis procera índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Caatinga

versão impressa ISSN 0100-316Xversão On-line ISSN 1983-2125

Resumo

SOBRAL, Kamila Marcelino Brito et al. HÁ VARIABILIDE GENÉTICA EM ACESSOS DE COQUEIRO-ANÃO CONSERVADOS NO BRASIL?. Rev. Caatinga [online]. 2019, vol.32, n.1, pp.52-61.  Epub 09-Maio-2019. ISSN 0100-316X.  https://doi.org/10.1590/1983-21252019v32n106rc.

O coqueiro anão é a principal variedade para uso comercial no Brasil, que ocupa atualmente a quarta posição na produção mundial. No entanto, os genótipos utilizados no país ainda apresentam limitações e há necessidade de variabilidade genética. Este trabalho teve por objetivo estimar a variabilidade genética em acessos de coqueiro-anão conservados no Banco de Germoplasma existente no Brasil, em diferentes épocas de colheita, utilizando descritores agronômicos de planta e frutos. Os acessos anão-verde-do-Brasil-de-Jiqui; anão-vermelho-de-Camarões; anão-vermelho-da-Malásia; anão-vermelho-de-Gramame; anão-amarelo-de-Gramame e anão-amarelo-da-Malásia foram avaliados por meio de 30 descritores. Análise de variância foi realizada e a diversidade genética foi quantificada utilizando a distância generalizada de Mahalanobis e expressa por meio de agrupamentos UPGMA, otimização de Tocher e variáveis canônicas. A análise de máxima verossimilhança foi utilizada para estimar os componentes de variância com os dados de cada planta em uma amostra de 11 descritores de maior importância para o melhoramento genético do coqueiro. Foi encontrada divergência fenotípica entre os acessos usando os agrupamentos UPGMA, Tocher e a dispersão gráfica obtida com variáveis canônicas. O emprego da análise de máxima verossimilhança confirma a existência de variabilidade genética nos acessos para os descritores diâmetro polar e equatorial do fruto, diâmetro polar da noz, peso total do fruto e espessura de epicarpo que apresentaram herdabilidade variando de 0,17 a 0,39. Há possibilidade de ganhos genéticos com a seleção desses caracteres para uso dos acessos em programas de melhoramento genético.

Palavras-chave : Cocos nucifera L; Características fenotípicas; Análise multivariada; Germoplasma; Recursos genéticos vegetais.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )