SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número1QUALIDADE PÓS-COLHEITA DE FRUTOS DE MACAÚBA OZONIZADOS PARA A PRODUÇÃO BIODIESELATRIBUTOS FÍSICOS E FISIOLÓGICOS DE SEMENTES SALVAS DE FEIJÃO-CAUPI UTILIZADAS NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Caatinga

versão impressa ISSN 0100-316Xversão On-line ISSN 1983-2125

Resumo

DUARTE, Geane Karla Gonçalves Ferreira et al. POTENCIAL TÓXICO DE Esenbeckia pumila Pohl (Rutaceae) SOBRE Artemia salina E Atta sexdens rubropilosa. Rev. Caatinga [online]. 2019, vol.32, n.1, pp.101-112.  Epub 09-Maio-2019. ISSN 0100-316X.  http://dx.doi.org/10.1590/1983-21252019v32n111rc.

A avaliação de moléculas com atividade inseticida provenientes de plantas que apresentam atividade tóxica ou repelente cresceu nos últimos anos, tendo como um dos principais alvos de estudo as formigas cortadeiras, consideradas as principais pragas das plantações brasileiras, especialmente do gênero Atta. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial tóxico e inseticida do extrato bruto e frações das folhas de Esenbeckia pumila Pohl (Rutaceae) sobre Artemia salina e Atta sexdens rubropilosa e realizar o estudo fitoquímico daquela espécie. A avaliação da toxicidade do extrato e das frações foi realizada em bioensaio com A. salina determinando-se CL50 (Concentração Letal Média). A atividade inseticida foi avaliada pela ingestão do extrato e das frações incorporados a dieta artificial e os resultados foram tratados estatisticamente através do teste log rank. O isolamento de substâncias foi realizado por métodos cromatográficos e as estruturas determinadas pela análise de dados espectroscópicos. No bioensaio contra A. salina, o extrato etanólico e as frações diclorometânica e acetato-etílica se mostraram altamente tóxicas. A análise estatística das curvas de sobrevivência revelou taxas de mortalidade significativas de operárias de A. sexdens rubropilosa quando comparadas à dieta controle, com destaque para a fração acetato-etílica que apresentou sobrevivência mediana (Md) no 3o dia e mortalidade de 100% no 21o dia (p < 0,05). O estudo fitoquímico da espécie levou ao isolamento do flavanoide rutina e de uma mistura dos triterpenos α-amirina, β-amirina e lupeol. Esses resultados sugerem o potencial inseticida de E. pumila sobre Atta sexdens rubropilosa.

Palavras-chave : Estudo fitoquímico; Produtos naturais botânicos; Atividade inseticida.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )