SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número1Physiological and biochemical changes in Pterogyne nitens tull. Seeds during the artificial aging processEconomic aspects of beef cattle production índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Pesquisa Agropecuária Tropical

versión On-line ISSN 1983-4063

Resumen

GONCALVES, Fábio José; ARAUJO, Leila Garcês de; SILVA, Gisele Barata da  y  FILIPPI, Marta Cristina Corsi de. Controle químico da brusone em arroz de terras altas: efeitos nos fungos não alvos do filoplano. Pesqui. Agropecu. Trop. [online]. 2012, vol.42, n.1, pp. 77-81. ISSN 1983-4063.  http://dx.doi.org/10.1590/S1983-40632012000100011.

A brusone em arroz de terras altas causa danos significa-tivos, necessitando de uma a duas aplicações de fungicidas, para o controle da doença. No entanto, o efeito de fungicidas sobre fungos não alvos do filoplano do arroz e benéficos são desconhecidos. Este trabalho objetivou avaliar o efeito de fungicidas no controle da brusone nas panículas, sobre fungos não alvos do filoplano de arroz, e estudar a antibiose de fungos não alvos para M. oryzae. Foi realizado um experimento em campo, utilizando-se duas cultivares (Primavera e Bonança), quatro fungicidas (trifloxistrobina + propiconazol, azoxistrobina, tebuconazol e triciclazol) e testemunha, com delineamento experimental em blocos ao acaso, em esquema de parcelas subdivididas, e quatro repetições. Foram avaliados a severidade da brusone nas panículas, o teor de clorofila nas folhas, o número de unidades formadoras de colônia cm-² de folha e a antibiose. A cultivar Primavera apresentou maior severidade de brusone nas panículas do que a Bonança. Os fungicidas azoxistrobina e trifloxistrobina + propiconazol diferiram significativamente da testemunha, com menores severidades de brusone nas panículas. O teor de clorofila não foi influenciado pelo tratamento com fungicida, mas houve diferença entre as cultivares. Os fungicidas tebuconazol, trifloxistrobina + propiconazol e azoxistrobina reduziram significativamente os fungos do filoplano, em relação à testemunha. O triciclazol proporcionou maior número de unidades formadoras de colônia cm-² de folha, não diferindo da testemunha. Dos quatro fungos testados, apenas Epicoccum sp. apresentou antagonismo para M. oryzae.

Palabras llave : Oryza sativa L.; Magnaporthe oryzae (Barr) Couch; biocontrole; antibiose.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · pdf en Portugués