SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número especialDesenvolvimento e aplicação dos microssatélites no melhoramento de plantasInfluência de porta-enxerto sobre enxerto através da análise metabolômica de amostras de látex de Hevea brasiliensis por RMN de ¹H índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Crop Breeding and Applied Biotechnology

versão On-line ISSN 1984-7033

Resumo

LOPES, Uilson Vanderlei et al. Melhoramento do cacau na Bahia, Brasil: estratégias e resultados. Crop Breed. Appl. Biotechnol. [online]. 2011, vol.11, n.spe, pp.73-81. ISSN 1984-7033.  https://doi.org/10.1590/S1984-70332011000500011.

Cacau foi introduzido na Bahia em 1756, tornando-se posteriormente o estado maior produtor no país. Visando dar suporte ao plantio de cacau na região, um programa de melhoramento foi estabelecido pelo CEPEC no início dos anos 1970. Por longo tempo, o programa consistiu em testar novos híbridos (irmãos completos) e distribuir uma mistura dos melhores para os produtores. Posteriormente, particularmente após a chegada da vassoura-de-bruxa à região, em 1989, estratégias de melhoramento recorrente foram implementadas visando principalmente o desenvolvimento de clones. De 1993 a 2010, mais de 500 progênies, acumulando mais de 30 mil árvores, foram desenvolvidas por cruzamento de muitos progenitores com resistência à vassoura-de-bruxa, alta produção e outros caracteres. Neste período, mais de 500 clones foram colocados em ensaios e 39 deles e três híbridos foram recomendados para os produtores. Neste artigo as estratégias e os resultados obtidos pelo programa são revistos. De modo geral o programa tem boa interface com os programas de fitopatologia e genômica.

Palavras-chave : Theobroma cacao; estratégias de melhoramento; métodos de seleção.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons