SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 issue3Toxicology and safety of the tincture of Operculina alata in patients with functional constipationPhysical profile of counterfeit tablets Viagra® and Cialis® author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences

Print version ISSN 1984-8250

Abstract

VARALLO, Fabiana Rossi et al. Assessment of pharmacotherapeutic safety of medical prescriptions for elderly residents in a long-term care facility. Braz. J. Pharm. Sci. [online]. 2012, vol.48, n.3, pp. 477-485. ISSN 1984-8250.  http://dx.doi.org/10.1590/S1984-82502012000300015.

O presente estudo teve como objetivos estimar a prevalência de idosos em uso de medicamentos potencialmente impróprios (MPI) e com ocorrência de interações medicamentosas potencialmente perigosas (IMPP); identificar os fatores de risco para a prescrição de MPI e avaliar o impacto de intervenção farmacêutica (IF) para a prescrição de alternativas terapêuticas mais seguras. Para tanto, realizou-se estudo transversal em instituição de longa permanência do interior de São Paulo, de dezembro/2010 a janeiro/ 2011. Os prontuários médicos dos pacientes >60 anos e que utilizavam pelo menos um medicamento foram consultados para avaliar a segurança farmacoterapêutica das prescrições médicas, identificando-se os MPI e as IMPP, segundo critérios de Beers (2003) e o critério da Organização Mundial da Saúde, respectivamente. A IF constou de carta de orientação ao médico da instituição, com sugestão de equivalentes terapêuticos mais seguros. Aproximadamente 88% dos idosos haviam utilizado pelo menos um medicamento e, para 30% deles, havia pelo menos um MPI prescrito. A maioria dos MPI identificados (53,4%) age no sistema nervoso central. Entre as 13 interações medicamentosas detectadas, 6 são consideradas IMPP. A polimedicação foi detectada como fator de risco para a prescrição de MPI. Após a IF, não houve alterações nas prescrições médicas dos pacientes que apresentavam MPI e IMPP prescritos. Os dados sugerem que IF realizadas por cartas, como único método interventivo, não são efetivas. Para contribuir com a seleção de farmacoterapia mais segura para idosos é necessária ampla divulgação dos MPI e IMPP entre os profissionais prescritores. Além disso, o farmacêutico deve fazer parte das equipes de saúde para auxiliar na promoção do uso racional de medicamentos.

Keywords : Medicamentos [interação]; Idosos [uso impróprio de medicamentos]; Assistência de longa duração; Medicação [erros]; Gerenciamento de segurança.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English