SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número4Comparação das dimensões de tecido mole entre padrões faciais distintosEstudo qualitativo fotoelástico do sistema de forças gerado pela mola "T" de retração com diferentes pré-ativações índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Dental Press Journal of Orthodontics

versão On-line ISSN 2176-9451

Resumo

GARBIN, Artênio José Ísper; PERIN, Paulo César Pereira; GARBIN, Cléa Adas Saliba  e  LOLLI, Luiz Fernando. Prevalência de oclusopatias e comparação entre a Classificação de Angle e o Índice de Estética Dentária em escolares do interior do estado de São Paulo - Brasil. Dental Press J. Orthod. [online]. 2010, vol.15, n.4, pp. 94-102. ISSN 2176-9451.  http://dx.doi.org/10.1590/S2176-94512010000400014.

INTRODUÇÃO: as oclusopatias estão entre os principais problemas de saúde bucal em todo o mundo, juntamente com a cárie dentária e a doença periodontal, e vários índices têm sido utilizados para registrá-las. OBJETIVOS: verificar a prevalência de oclusopatias utilizando a Classificação de Angle e o Índice de Estética Dentária (DAI), sua severidade e a necessidade de tratamento ortodôntico registradas pelo DAI, e comparar os resultados de ambos os índices, visando correlacionar o padrão dos dados coletados e a viabilidade de utilizá-los de forma conjunta. MÉTODOS: a amostra consistiu de 734 escolares com idade de 12 anos, de ambos os sexos, da rede pública do município de Lins/SP. Foram realizados exames nos pátios das escolas com utilização de sondas IPC a olho nu. RESULTADOS: pela Classificação de Angle, encontrou-se 33,24% das crianças com oclusão normal e 66,76% com má oclusão. Pelo DAI, observou-se que 65,26% das crianças apresentavam-se sem anormalidades ou com más oclusões leves. A má oclusão definida esteve presente em 12,81%, a má oclusão severa foi observada em 10,90% e a muito severa ou incapacitante em 11,03%. A maioria das crianças (70,57%) apresentou relação molar normal, e o overjet maxilar anterior foi a alteração mais frequentemente observada. No cruzamento dos índices houve semelhanças e divergências. CONCLUSÃO: o DAI não foi sensível a alguns problemas de oclusão detectados pela Classificação de Angle, e a recíproca foi verdadeira, demonstrando que ambos os índices possuem pontos distintos na detecção das oclusopatias, podendo ser utilizados de forma reciprocamente complementar.

Palavras-chave : Prevalência; Má oclusão; Estudo comparativo.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês     · press release em Português | Inglês | Espanhol