SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número1Avaliação dos fatores determinantes da estética do perfil facialA influência de imagens tridimensionais no plano de tratamento ortodôntico índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Dental Press Journal of Orthodontics

versão On-line ISSN 2176-9451

Resumo

FEU, Daniela et al. Percepção das alterações no plano gengival na estética do sorriso. Dental Press J. Orthod. [online]. 2011, vol.16, n.1, pp. 68-74. ISSN 2176-9451.  http://dx.doi.org/10.1590/S2176-94512011000100011.

OBJETIVO: esse estudo analisou a percepção de 80 profissionais de Odontologia e 80 indivíduos leigos, pacientes de consultórios particulares e da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Espírito Santo, quanto à presença de alterações no plano gengival. MÉTODOS: a fotografia de uma mulher jovem sorrindo foi digitalmente modificada, produzindo alterações simétricas na altura gengival dos incisivos centrais e incisivos laterais, tornando o plano gengival progressivamente ascendente. Foi solicitado que os indivíduos escolhessem a foto mais agradável e, depois disso, o entrevistador questionava o indivíduo para verificar se o mesmo sabia o que estava sendo alterado na sequência de fotos, ou seja, se identificava as alterações feitas no plano gengival. RESULTADOS: os resultados mostraram que houve uma prevalência significativa na seleção do plano gengival harmonioso no grupo de dentistas e de pacientes (p<0,001; p<0,05, respectivamente) e que não houve diferenças significativas entre as especialidades integrantes do grupo de dentistas (p=0,538), o que aconteceu no grupo de leigos (p=0,05), demonstrando maior percepção do grupo de pacientes de consultório. A identificação da alteração no plano gengival foi significativa no grupo de dentistas (p<0,001) sem diferenças significativas dentre as especialidades do grupo, e não foi significativa no grupo de leigos (p=0,100). Foi evidenciada também uma identificação do problema significativamente superior no grupo de dentistas em relação ao grupo de leigos (p<0,001). CONCLUSÃO: concluiu-se, portanto, que alterações simétricas acima de 2mm podem ser percebidas por dentistas e leigos, que não existem diferenças nessa percepção entre as especialidades odontológicas estudadas e que o grupo de pacientes de consultório foi significativamente mais perceptivo que os pacientes da UFES.

Palavras-chave : Ortodontia; Estética dentária; Plano gengival.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês